As belezas ‘escapistas’ de Nova York

Neste domingo (12) chegou ao fim a temporada SS 2022 RTW de Nova York, que trouxe um olhar pós-pandêmico à indústria da moda. As decisões criativas apresentadas refletem a esperança que os designers possuem sobre um mundo onde o glamour se revigora. Essa esperança também é extremamente visível na beleza que acompanha cada uma das coleções.

Apesar de cada coleção ter a sua própria essência, todas trouxeram a própria idéia de um mundo ideal pós-Covid, cheio de glamour, tons vivos e sensualidade. Além disso, também é possível enxergar as tendências de beleza que se tornaram as favoritas durante a quarenta, como makes mais coloridas e assimétricas, que surgiram para quebrar o padrão de “no makeup-makeup” existente pré-pandemia. Essa nova tendência de maquiagem, que se desprende da regra de traços lineares, pode ser vista como uma releitura da liberdade pela qual todos ansiavam durante o pico da pandemia.

Prabal Gurung SS 22 RTW. Beleza por Sil Bruinsma.
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]

Sem dúvidas, uma das estéticas que mais se popularizou no TikTok nos últimos meses marcou sua presença nas passarelas de Nova York. A fairycore, que começou somente como uma estética nas redes sociais e se tornou uma tendência nas coleções apresentadas na semana de moda. Enquanto Odile Gilbert e Dick Page, que assinam a beleza da coleção de Primera-Verão da Altuzarra, optaram por um lado mais obscuro do fairycore – com sombras escuras bem esfumadas, pele neutra e messy brows, com tranças nas madeixas frontais do cabelo para finalizar, Evanie Frausto e Allie Smith assinaram a beleza de Collina Strada como um completo oposto.

Em um artigo da edição norte-americana da Vogue, a beleza da coleção foi apresentada como um “jardim fantástico de fadas”. Frausto e Smith trouxeram à passarela todos os principais elementos que constituem a estética, e que também estão em alta nas redes sociais. O conceito foi composto de cores neons, nail arts que fariam até Kylie Jenner chorar e uma pele completamente natural, com ênfase em iluminar os melhores traços das modelos. Na maioria delas, a concentração de cores era na região da orelha, fazendo referência às orelhas pontiagudas de fadas em histórias fictícias.

Altuzarra SS 22 RTW. Beleza por Odile Gilbert
e Dick Page.
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]
Collina Strada SS 22 RTW. Beleza por Evanie Frausto
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]

Anna Sui foi outra coleção que soube aproveitar as maiores tendências que surgiram no cenário atual e as trouxe para a passarela. Com beleza assinada por Pat McGrath, as modelos desfilaram com sombras metalizadas em cores vivas, misturadas como aquarelas em seus olhos. A artista utilizou sombras com efeito glossy, sem se importar com simetria ou excesso de glitter. Esse estilo de maquiagem se popularizou no TikTok durante a primeira temporada da série Euphoria, e continua em alta até então. O glamour da maquiagem cria um constraste com a escolha de estilizar algum dos looks com miçangas, outra tendência que surgiu nas mídias sociais.

Anna Sui SS 22 RTW. Beleza por Pat McGrath.
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]

Atendendo todas às expectativas para uma coleção pós-pandêmica, LaQuan Smith trouxe glamour, sensualidade e festa para a passarela. De acordo com o esperado, a beleza assinada por Lacy Redway e Sheika Daley reflete como todos anseiam poder sair quando o mundo se normalizar. Composta por olhos carregados, tons pesados, glitter e delineados estilo foxy eyes e dominantes, a maquiagem apresentada carrega muita força na totalidade dos looks e deixa a modelo pronta para ir direto para o Studio 54. O hairstyle, seja ele puxado para trás de forma bem rente à cabeça ou solto com as madeixas bagunçadas, ambos com baby hair a mostra, tornam a beleza ainda mais sensual.

LaQuan Smith SS 22 RTW. Beleza por Lacy Redway e Sheika Daley
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]

Já a beleza de Danilo e Kabuki no desfile da Moschino se manteve fiél à essência da marca, sem deixar de acrescentar tendências atuais. Cores em tons pastéis, cabelos enfeitados com miçangas e tranças características dos anos de 1990 são uma grande parcela das trends que voltaram graças às mídias sociais no período de isolamento. Além disso, os coques extremamente volumosos de algumas modelos também remetem à beleza teatral e exagerada que se espera de um momento pós-pandêmico. Todos esses elementos puderam ser vistos simultaneamente na passarela, e mesmo assim Danilo e Kabuki ainda souberam trazer elementos clássicos da casa — como Taylor Hill desfilando com um móbile para bebês enfeitando sua cabeça.

Moschino SS22 RTW. Beleza por Danilo e Kabuki
[Imagem: Reprodução Vogue Runway]

Apesar de diferenças apresentadas pela beleza de tais coleções, elas mostram o seu jeito de expressar a esperança do amanhã. Cada um desses artistas a utiliza de uma forma única, que representa o que é esperado em um cenário sem isolamento e com liberdade. Entretanto, em momento nenhum, escolheram ignorar as tendências que nasceram desse próprio cenário, em que as pessoas utilizavam essa arte como válvula de escape do mundo real.

3 comentários em “As belezas ‘escapistas’ de Nova York

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s