[Resenha] Shang-Chi: como o primeiro herói asiático impacta a Marvel

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis chegou aos cinemas no início do mês de setembro (02) e já fez história dentro da Marvel, elevando o nível do que está por vir na Fase 4.

O universo cinematográfico da Marvel, ou MCU, nos remete a uma incrível narrativa com uma fotografia impecável, reviravoltas, e claro, boas lutas. Shang-Chi é um bom exemplo disso, que permanece até hoje no topo das bilheterias, podendo ultrapassar o filme da Viúva Negra.

Interpretado por Simu Liu, o primeiro herói asiático mora em São Francisco e trabalha como manobrista em um estacionamento de hotel. Quando o pingente dado na infância por sua mãe Li (Fala Chen), é roubado por uma gangue de assassinos comandada pelo pai Wenwu (Tony Leung), ele e a melhor amiga Katy (Awkwafina), viajam a Macau para alertar a irmã de Shang-Chi, Xialing (Meng’er Zhang), que também se encontra em perigo.

A origem nas HQs

Desde 2006, a Marvel Studios tem planos de desenvolver um filme do Shang-Chi, principalmente porque o mercado chinês é campeão de bilheteria, como em Vingadores: Ultimato, que arrecadou mais de US$600 milhões. É perceptível como a companhia da Disney vem inserindo personagens asiáticos nas suas produções para mais identificação nos cinemas orientais, principalmente nos últimos anos, com o intuito de expandir a diversidade e a representatividade. Como todo bom herói do MCU se origina nas histórias em quadrinhos, conhecidas por HQs, vamos entender a importância dessa história do jovem chinês.

Criado por Jim Starlin (o mesmo criador de Thanos) e Steve Englehart, o Mestre do Kung Fu – como é conhecido no Brasil – estreou na revista Special Marvel Edition #15, em dezembro de 1973. Na época, as séries e filmes de artes marciais eram um sucesso, então o personagem acabou sendo inspirado por um grande fenômeno, Bruce Lee, possuindo até traços parecidos com o do lutador.

Imagem: Reprodução/Marvel Comics

Shang-Chi, filho do mentor criminoso Fu Manchu, significa “o surgimento e o avanço de um espírito”. Treinado desde a infância para ser uma máquina letal de combate, mas na realidade, não passa de uma marionete no império do pai. Quando mais velho, assassina um senhor indefeso e começa a enxergar que não está do lado dos “mocinhos”. Com isso, foge e inicia sua missão para combater o criador.

Nos primeiros anos de publicação, as histórias envolviam mais espionagem, principalmente quando ele atuava ao lado do Serviço Secreto Britânico, então mesmo não tendo nenhum superpoder, sempre se defendia dos adversários através dos conhecimentos de luta, especialmente as tradicionais chinesas. Com o tempo, ao se tornar mais “contemporâneo”, outros elementos foram adicionados e também foi integrado aos super-heróis.

A partir dos anos 2000, passou a ter alguns poderes para controlar o chi, ou seja, uma percepção sobre os elementos naturais, a energia de todos os seres vivos. Como exemplo, quando ele furou a barreira telepática criada por Jean Grey, dos X-Men. Shang-Chi também possui o manuseio de armas, como nunchakus e shurikens e é capaz de controlar o sistema nervoso, sendo resistente a dor, efeitos de drogas e venenos espalhados pelo sangue.

O personagem já teve os poderes do Homem-Aranha, a manopla especial para lutas desenvolvida por Tony Stark, e até usou as partículas Pym para se tornar gigante. Após ser exposto a uma radiação cósmica, desenvolveu a habilidade de criar inúmeras cópias de si, sendo mantida até os dias atuais.

Em 2011, nas Guerras Secretas, Shang-Chi adquiriu os poderes que permitem ficar inatingível e transformar os oponentes em pedra. É importante lembrar que ele participou de várias histórias da MCU: Vingadores, Homem-Aranha e os heróis de rua da Marvel, como Punho de Ferro e Demolidor.

Easter Eggs e Referências

A Marvel Studios é reconhecida por colocar easter eggs (segredos escondidos) por todos os filmes e com Shang-Chi não foi diferente! Os 3 momentos que merecem destaque são: Os Dez Anéis, Mandarim e Abominável.

Os Dez Anéis

Os Dez Anéis usados pelo Mandarim são originários de outro planeta, que foram trazidos à terra pelos Makluan, uma raça de alienígenas que se assemelham a dragões espaciais, como o vilão Fin Fang Foom.

O MCU mostra os artefatos muito antes de Shang-Chi. No primeiro filme do Homem de Ferro, a organização terrorista que captura o Tony Stark e faz com que ele construa a armadura, se chama Dez Anéis, derivada do grupo criminoso criado pelo pai do herói asiático. Além disso, em Homem de Ferro 3, colocam um Mandarim falso.

É importante ressaltar a importância dos poderes dos acessórios, o que fica bem claro como foco dos próximos filmes, com uma cena pós-crédito insinuando isso (sem mais spoilers).

Em uma das cenas da obra é possível perceber uma referência a Dragon Ball, um dos mangás e animes mais popular de todos os tempos. Durante a luta final, Shang-Chi consegue o poder dos dez anéis, girando-os rapidamente, o que nos remete a bola de fogo do Kamehameha usada por Goku. Além disso, o Grande Protetor, ser mágico de Ta-lo, se parece com Shenlong da franquia japonesa.

Mandarim

O filme traz o verdadeiro Mandarim, conhecido através da linha temporal por Rei Guerreiro, Mestre Khan e o Homem Mais Perigoso da Terra. A Marvel Studios desenvolveu um vilão mais profundo e complexo que mudou por amor, mas ao perdê-lo, foi consumido pela dor do luto, e se pauta em resgatar sua família.

Diferente das representações dos quadrinhos, como o cabelo comprido, cavanhaques e vestes largas, o MCU não quis repetir os estereótipos racistas. Essas representações, chamadas de “Perigo Amarelo” na época da Guerra Mundial e Guerra Fria, enxergavam os asiáticos como uma ameaça ao mundo ocidental.

Imagem: Reprodução/Marvel Studios

Abominável

O vilão do primeiro filme do Hulk, Abominável, está de volta com um visual um pouco diferente de 2008. Ele aparece em uma luta clandestina com o Wong, de Doutor Estranho. A relação entre os dois personagens indica que Emil foi treinado por ele para controlar seu temperamento e poderes. A especulação é de que esse vilão não seja apenas um easter-egg, mas sim um aviso de retorno na série She Hulk, com previsão de estreia para 2022.

Imagem: Reprodução/Marvel

O incrível mundo cinematográfico da MCU

Outro grande destaque, e talvez um dos mais importantes, é a construção dos efeitos especiais, fotografias, figurinos e lutas, já que acentuam toda a história oriunda dos quadrinhos. Perri Nemiroff, diretora cinematográfica do Collider, afirmou em seu twitter que todas essas categorias técnicas se juntam de modo que destacam o filme. Muitos outros críticos, como Wendy Lee Szany, da Associação de Críticos de Hollywood, avaliaram positivamente o longa.

Simu Liu incrementou o personagem apenas com artes marciais, já que o herói não possui um traje com altas tecnologias. O ator não sabia nenhuma defesa de combate mas desenvolveu as habilidades do clássico Kung Fu chinês, Muay-Thai, Krav Maga, Jiu-Jitsu, Hong Chen, Wushu, Silat, Boxe e lutas de rua. Em entrevista à Marvel, ele declarou: “Shang-Chi não é apenas um mestre de Kung Fu. É uma arma humana a quem foram ensinadas todas as formas possíveis de matar uma pessoa. Então, em muitos sentidos, seu estilo não é específico quando se trata de uma disciplina de artes marciais em particular”.

“Eu senti que tinha a responsabilidade de dar vida a esse personagem e isso significa mais do que apenas fornecer um rosto e uma voz. Tive muita sorte de ter tido muitas pessoas realmente talentosas ao meu redor para me treinar e de ter realizado com sucesso algumas das acrobacias. Por isso, o que você vai ver na tela sou eu mesmo fazendo as coisas e levando um chute no traseiro, dando golpes e tudo mais”

Simu Liu

Uma das cenas mais marcantes é a luta dentro do ônibus desenfreado pelas ruas de São Francisco. O ator Florian Munteanu, que interpreta o Punho de Lâmina em Shang-Chi, recentemente contou em uma entrevista ao ComicBook, que essa parte demorou 4 semanas para ser feita, e falou sobre as dificuldades desse momento: “Eu batia em postes e paredes o tempo todo, ia ao fisioterapeuta, aos médicos quase todos os dias. Mas, no final do dia, valeu a pena. Acho que criamos algo realmente especial“. O ator Liu também compartilhou no Instagram os bastidores desse espetáculo:

A soundtrack do filme é um grande destaque por contar com composições de Joel P. West e 88rising, NIKI e DJ Snake. O primeiro single divulgado foi Lazy Sing, cantada pelo rapper britânico 21 Savage, os indonésios naturalizados chineses Rich Brian e Warren Hue, e o chinês Masiwei. Além disso, de forma impecável, o Simu Liu em parceria com o 88rising, cantam Hot Soup. Confira as músicas completas na playlist feita pelo Portal Nação da Música:

Kym Barrett, figurinista, foi responsável por dar vida ao traje de Shang, trazendo a famosa veste vermelha do herói asiático, com referências da própria cultura oriental. A designer também desenvolveu as peças de Aquaman e O Espetacular Homem-Aranha

Imagem: Divulgação/Entertainment Weekly

Por fim, Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis é diferente do que conhecemos como “fórmula Marvel”. Ele consegue surpreender e entreter o público de diversas maneiras. Todas as cenas são muito bem desenvolvidas, desde as coreografias das lutas até os flashbacks, o que deixa a história fluida. Além disso, o carisma do elenco e sua relação com as HQs faz com que cada fã da Marvel se apaixone cada vez mais pela trama e por todo o MCU.

Um comentário em “[Resenha] Shang-Chi: como o primeiro herói asiático impacta a Marvel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s