Olheiras: conheça os diferentes tipos e tratamento

[Imagem: Getty Images]

As olheiras são extremamente comuns, ainda assim, causam desconforto e são alvo de muitos questionamentos. A falta de conhecimento a respeito das manchas pode levar à prática de tratamentos inadequados, sem atenção aos cuidados necessários para prevenção e diminuição. Pensando nisso, a Frenezi convidou a Dra. Camila Rosa, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, para falar sobre o tema e esclarecer os principais pontos.

Olheiras são nada mais do que manchas e bolsas formadas ao redor dos olhos, que podem aparecer ainda na infância por questões genéticas, alergias e cansaço, e tendem a se intensificar com a idade por consequência do envelhecimento natural da pele. A dermatologista explica que essas manchas “podem ocorrer por um conjunto de fatores, como pigmentação por excesso de melanina, profundidade da órbita e vascularização. As bolsas que se formam embaixo dos olhos são resultado do excesso de pele decorrente do envelhecimento da pele e das bolsas de gordura na pálpebra inferior” 

Diferentes tipos e causas
As olheiras podem ser divididas em quatro categorias. A médica destaca que cada tipo tem sua maneira de formação:

Os tipos de olheira 
[Imagens: Divulgação/Patrícia Elias e Pixies]

Pigmentar: “São decorrentes do excesso de melanina por questões genéticas e excesso de exposição solar”. Por ser causada pelo composto que dá coloração à pele, é comumente identificada em peles morenas e negras. Além da luz solar, alergias e processos inflamatórios são pontos de agravamento.

Estrutural ou profunda: “Tem relação com a perda de sustentação da face devido ao envelhecimento natural ou à genética de órbita mais profunda”. Causa o efeito de olho fundo, graças a estrutura óssea somada a coloração amarronzada da região.

Vascular: “Os vasos sanguíneos são visualizados por transparência na pele”. Causada pelo acúmulo da proteína dos glóbulos vermelhos nos vasos por má circulação no local, tem coloração azulada, arroxeada ou avermelhada e passa sensação de cansaço pelo inchaço no local. Assim como na pigmentar, a vascular pode ser agravada por problemas alérgicos e exposição solar. Além disso, o estresse tem grande papel no aparecimento.

Mista: Resulta da soma de vários elementos, portanto tem várias causas, subtipos e efeitos. É o tipo mais comum

Dra. Camilla também explica que, assim como em outras questões relacionadas a enfermidades da pele, manchas e marcas, é possível notar diferenças entre pessoas mais claras, morenas e negras no aparecimento e tipo de olheiras.

“Geralmente a pele negra tem uma tendência maior a hiperpigmentação e as olheiras tendem a ser mais pigmentadas. Já as peles mais claras, como possuem menos melanina, é mais fácil a visualização dos vasos por transparência, porém isso não é regra.”

[Imagens: Depositphotos e Michael Beckert]

E por que tantos elementos agravam as olheiras?

Noites mal dormidas, tabagismo, perda drástica de peso em pouco tempo e desidratação agravam as olheiras, segundo a especialista, assim como outros elementos já citados – exposição a raios solares sem devidos cuidados, rinite e idade. Apesar do processo de aparecimento ser diferente, o motivo é parecido: eles causam alterações químicas e mudanças na textura da pele, são aspectos naturais e sempre refletem na região dos olhos.

Excesso de bebida alcoólica, fatores hormonais, acúmulo de sujeira no local – incluindo resíduos de maquiagem -, choro e tensão muscular também têm sua culpa, mesmo que temporariamente.

Tratamentos
A dermatologista pontua que tratamentos caseiros, como compressas de gelo, sachês de chá, gaze, as famosas rodelas de pepino, e utilização de produtos cosméticos para skincare são possíveis aliados na hidratação da superfície, porém não são plenamente eficazes no tratamento e prevenção. Nada substitui o atendimento dermatológico adequado, que varia de acordo com a classificação e sua causa.

Para pele hiperpigmentada, técnicas e ativos despigmentantes – aqueles que inibem a produção de melanina, clareando a região – são indicados. Em olheiras de profundidade, aposta-se em preenchimentos com o uso de ácidos. Para a causa vascular, o laser é a melhor opção e apresenta rapidez nos resultados. O tratamento com laser também é eficaz quando a causa é flacidez, problema que pode ser resolvido com ultrassom microfocado, estimulante na produção de colágeno nas camadas da pele.

Entretanto, é importante destacar que bons hábitos atuam lado a lado com as soluções médicas e são essenciais para lidar com o problema.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s