O crescimento do E-Commerce e dos pequenos negócios durante a pandemia

Durante a pandemia do Coronavirus, as taxas de desemprego aumentaram consideravelmente no Brasil. Com isso, muitas pessoas se tornaram autônomas e, por esse motivo, houve o crescimento dos pequenos empreendimentos nesse período.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), a taxa de desocupação no país subiu de 7,9% em 2012 para 14,7% em 2021. Algumas regiões como Sudeste e Nordeste chegaram a atingir, respectivamente, 15,2% e 18,6% na sua taxa de desocupação.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.

Devido ao fechamento e a quebra dos comércios durante o lockdown, os brasileiros decidiram sediar seus negócios em plataformas digitais, levando em consideração os benefícios que esta oferece. Em entrevista, a empreendedora Isabela Guedes, dona do Empadinhas da Isa (@empadinhasdaisa), conta que um dos motivos para a abertura da sua loja foi obter uma renda extra.

“A pandemia veio e pegou todos nós de surpresa. Eu havia começado a vender as empadinhas no colégio, após minha mãe me ensinar a fazê-las. Com a pandemia eu não pude continuar e foi aí que pensei em criar um Instagram e expandir as empadinhas. Foi aí que eu criei o Empadinhas da Isa”, disse a empreendedora.

Com todos os empecilhos que o confinamento trouxe, ela afirma que tinha suas dúvidas quanto ao seu empreendimento.

“No início era incerto e duvidoso, eu tinha medo de não dar certo, mas fluiu tudo bem no início. Tive meus momentos de pensar em desistir, pois ter/manter um negócio, por menor que seja, não é nada fácil”, conta Isabela.

Entretanto, segundo o Relatório E-commerce no Brasil da agência Conversion, o comércio eletrônico registrou, em outubro de 2020, 1,28 bilhão de acessos. O resultado demonstrou um aumento de 9,7% comparado ao mesmo período de 2019, isso apesar da reabertura das lojas físicas em todo o país.

“Não esperava o crescimento que tive, fiquei surpresa com a quantidade de pessoas que eu conquistei como cliente”, explicou a CEO sobre o retorno que obteve do seu projeto.

A visão do consumidor

Graças a evolução da tecnologia, hoje é possível encontrar de tudo a apenas um toque de distância. Conhecido como e-commerce, o comércio eletrônico ganhou destaque nos últimos anos por causa da falta de acessibilidade a shoppings e lojas em virtude da pandemia.

Com destaque para o setor de importados (+91,72%), a Shopee, sozinha, teve em março de 2021 a maior taxa de crescimento da categoria, atingindo +1954%, em comparação a 2020.

Reprodução: Conversion

O estudante de publicidade e comprador assíduo da plataforma, Rafael Rabelo, conta que hoje em dia faz muito mais compras em e-commerces do que em lojas físicas.

“A Shopee e outras plataformas oferecem preços melhores, um catálogo maior de produtos com qualidade, fora as ofertas e cupons disponíveis e também boa velocidade de entrega”, disse o publicitário.

Hoje em dia muitos brasileiros têm preferido fazer suas compras online, uns por maior comodidade, outros pela vastidão de opções.

“Esse novo modelo facilita muito a procura de produtos, você consegue comparar preços mais facilmente em vários lugares diferentes, além da comodidade de pode fazer isso de casa, sem precisar passar horas na rua buscando o que precisa”, explicou Rafael.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s