Do Y2K ao autocuidado: O que Dominou a Indústria da Beleza em 2021

Se 2020, para a indústria da beleza, foi um ano que começou com cores, glitters e criatividade e terminou incerto, com números incomuns e certa esperança de retomada, 2021 veio com um clima de adaptação aos tempos que se seguem e sinais de otimismo.

É impossível não destacar a influência da pandemia em nossas vidas. O cenário totalmente atípico que (ainda) vivemos modificou a forma que nos enxergamos e comportamos enquanto indivíduos, e isso claramente refletiu no universo da beleza.

Existe um interesse maior em rituais caseiros, o que impulsionou a busca e lançamentos de produtos de higiene pessoal e autocuidado, além de produtos de unha, cabelo, maquiagem e skincare práticos para utilizar em casa, sem auxílio profissional.

A sustentabilidade virou foco de atenção em todas as áreas. Na beleza, isso se reflete com o aumento na procura de produtos sem formulações nocivas, veganos, que não testam em animais, tem propósito consciente e ética como carro chefe. O público está mais atento ao que consome e faz questão de passar esse conceito para frente, indicando a seus amigos e seguidores. Em um estudo desenvolvido pela Avon e divulgado em Setembro, 81% das mulheres entrevistadas disseram acreditar que ingredientes naturais são mais seguros para a pele. Daniela Penteado, Gerente de contas e Especialista de tendências na WGSN, empresa líder em tendências de comportamento e consumo, concorda que a tendência foi observada “Os consumidores estão procurando desperdiçar menos produtos para aumentar a relação custo-benefício e reduzir seu impacto no meio ambiente, esta foi uma tendência bem forte observada neste ano”. Ela também pontua que isso caminha de mãos dadas com a busca por praticidade “Os consumidores passaram a determinar o valor de um produto com base em sua eficácia e eficiência, priorizando opções minimalistas que prometem reduzir a quantidade de resíduos gerados. Além disso, produtos híbridos e multifuncionais foram potencializados no mercado, pois simplificam as rotinas de beleza, algo que se tornou ainda mais relevante para os consumidores. […]A demanda por maquiagens multifuncionais, produtos que também tratam a pele, está crescendo à medida que o público busca opções melhores para o bolso e o planeta.”

A CARE Natural Beauty trabalha com “Dermocosméticos Minimalistas” com vários benefícios agregados e segue os pilares da sustentabilidade. Imagem/Divulgação CARE

E não podemos deixar de destacar a interferência das redes sociais, especialmente do TikTok. Do descobrimento de novos talentos, que aproveitaram o alcance da plataforma para criar conteúdo e mostrar seu trabalho, ao surgimento de trends no mínimo curiosas, como o uso do Roacutan para mudança no formato do nariz e utilização de lubrificantes na base – duas tendências que devem sumir tão rápido quanto surgiram, visto que não tem qualquer respaldo profissional e cresceram em nichos muito específicos – a rede de vídeos se provou, mais uma vez, uma grande influenciadora.

2001 ou 2021?

Mais do que nunca, millennials e integrantes mais velhos da geração Z passaram a relembrar filmes, séries e músicas que estiveram em alta durante os anos 2000. Paris Hilton, Megan Fox, Lindsay Lohan, Travis Baker e Britney Spears são algumas das personalidades que, por motivos diferentes, ganharam mais destaque na mídia. O revival de Gossip Girl e Sex & The City chegam para completar o pacote.

Assim como a moda, a beleza também apresenta um comportamento cíclico e se rendeu a este comportamento, abraçando os anos 2000 e trazendo de volta penteados, cores e técnicas de maquiagem populares há mais de 20 anos.

Misturando o ar vintage com uma roupagem mais moderna, a estética, chamada de Y2K, foi provavelmente o grande hit do ano. Divertido, o look mistura cores, texturas, tons metálicos e brilhosos com toque clássico, já que esse visual é muito familiar a todos que viveram ou não essa época.

Imagens: Reprodução/Instagram

Cabelo

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o consumo de produtos para cabelo cresceu em 2021 devido à ascensão do autocuidado em tempos de isolamento social. 

Saímos de uma época de adaptação à falta de salão e visitas presenciais a lojas de cosméticos e entramos numa era de aceitação ao natural e explorar novas possibilidades. E apesar da alta dos anos 2000, houve um aumento no uso do cabelo sem química ou coloração –  assumir o grisalho é cada vez mais observado – e com volumes, texturas descontraídas, looks que nada combinam com o liso perfeito da década. Tranças, esculturas, baby hair, cachos bagunçados e mullets aparecem como consequência dessa descoberta.

Miley Cyrus. Imagem: Alberto E. Rodriguez/Getty Images

Cuidados com o corpo

O skincare está cada vez mais forte. Com mais tempo em casa e as frequentes reuniões e aulas em vídeo – que boa parte da população participa durante o período de isolamento -, indivíduos passaram a se enxergar mais, dessa vez pela câmera de seus dispositivos. Consequentemente, encontram pontos que gostariam de melhorar na própria imagem, passam a se preocupar mais em como se apresentam e o desejo de cuidar da aparência do rosto se intensifica.

O aumento da atenção com a pele também tem relação com maior tempo livre que muitos ganharam ao serem obrigados a ficar em casa, e o senso de rotina e autocuidado que isso transmite. Daniela explica que esse hábito é observado como algo feito aos poucos durante o dia a dia e deve se manter para os próximos anos, de acordo com a nova realidade e a retomada da rotina “[…]Os consumidores criaram pequenos momentos de autocuidado espalhados ao longo do dia, e isso será cada vez mais comum. As novas jornadas de trabalho e o abandono da longa rotina matinal de cuidados com a pele aumentarão a procura por produtos práticos que podem ser aplicados durante o trabalho, nos momentos de lazer ou durante deslocamentos.”

Não à toa, marcas e celebridades passaram a se dedicar ao skincare. Salon Line, Eudora & Niina Secrets e Amaro são algumas marcas nacionais que decidiram explorar esse nicho de mercado, enquanto as internacionais expandiram seu alcance global e desembarcaram em novos países. Fenty Skin, de Rihanna, cada vez mais amplia seu leque de produtos e a modelo Hailey Bieber promete lançar seus próprios cosméticos ano que vem.

Mas os cuidados não se limitam ao rosto, cresceu o interesse e debate com produtos para o corpo, região íntima (que sim, é um assunto que ainda gera certa resistência e dúvidas, mas tem sido cada vez mais explorado com liberdade e respeito por marcas e consumidores) e pelos “Mais consumidores estão se voltando para produtos para remoção de pelos em casa, substituindo as idas aos salões. Com isso, cresce o número de marcas independentes que oferecem preços acessíveis, produtos multiuso sustentáveis, uma visão positiva sobre os pelos corporais e fórmulas para peles sensíveis” explica Daniela. 

A especialista também lembra que sabonetes em barra “renasceram”, muito por conta da necessidade redobrada de ter a pele limpa e protegida.

A B.O.B – Bars Over Bottle – vende uma beleza limpa de ingredientes nocivos, plastic e cruelty free, natural e vegana. Imagem: Divulgação/B.O.B

Maquiagem

Na maquiagem, a praticidade também ganhou espaço, segundo observado pela especialista da WGSN “A demanda por maquiagens multifuncionais, produtos que também tratam a pele, está crescendo à medida que o público busca opções melhores para o bolso e o planeta.”

Os olhos, que ganharam protagonismo do rosto em 2020 em consequência do uso de máscaras, seguiram firmes em 2021. Cores e técnicas diferentes de maquiagem, que no ano anterior muito se fortaleceram pela série Euphoria, esse ano se mantiveram pela sensação de alegria e criatividade que exalam. Foi a forma encontrada para se expressar, transmitir frescor e festa em tempos desafiadores. Ariana Grande lançou sua própria linha no último trimestre do ano e garantiu que o primeiro ciclo fosse focado nos olhos.

Ariana Grande para a R.E.M. Imagem: Reprodução/Instagram

Mas a boca não foi esquecida, contornos, gloss voltaram a aparecer, mesmo que nos poucos momentos que é possível ficar sem máscara. As bochechas seguem super marcadas.

Unhas

Depois de um 2020 fraco, o setor de produtos para unhas ganhou destaque em 2021. Segundo a ABIHPEC, a indústria de produtos teve crescimento de 8,7% comparado ao mesmo período em 2020.

A retomada já era esperada por pesquisadores e observadores de tendências, visto que a flexibilização de certas atividades foi decretada esse ano, porém parte da população ainda sente receio em retomar visitas a salões e receber profissionais à domicílio, enquanto muitos adquiriram o hábito de cuidar das unhas em casa e pretendem manter, surgindo assim a necessidade de adquirir novos produtos – o que inspirou marcas a investirem em lançamentos e publicidade.

As nail arts aparecem fortíssimas e mais do que nunca representam uma forma de expressão. Em relatório anual, o Pinterest relatou aumento nas buscas por “unhas ousadas”, verdes, marmorizadas e baddie nails – os acrílicos gigantescos com desenhos e acessórios . 

Cardi B. Imagem: Reprodução/Instagram

E agora, o que esperar de 2022?

Daniela lista certos comportamentos que irão continuar: “As tendências de beleza que surgiram durante o lockdown continuarão a evoluir em 2022. Rotinas de skincare sem água, produtos multitarefa e ‘snacks’ de beleza estão entre as tendências escolhidas por nossa equipe de especialistas.”

“Os consumidores de beleza vão priorizar a eficácia e a eficiência conforme eles buscam fazer compras inteligentes que não prejudicam o planeta. A skinimalism, tendência de skincare minimalista que promove as rotinas simplificadas de cuidado com a pele, vai unir frugalidade e sustentabilidade em produtos híbridos.

No pós pandemia, o público consumidor de ‘produtos limpos’ irá buscar itens com fórmulas cuidadosamente elaboradas e respaldo científico. 

A beleza e a saúde vão andar juntas com produtos e tratamentos formulados para promover o bem-estar físico e mental.

Depois do início tumultuado da década, os consumidores desejam uma nova revolução de beleza que exige o uso de refil, adotando modelos de negócios sustentáveis e criando alternativas de produto para gerar mudanças positivas.”

É sempre notável que o ambiente interfere diretamente em todos os âmbitos e cenários,e a beleza não poderia ser diferente. O que foi visto esse ano e é esperado para o futuro é uma beleza mais limpa, consciente, saudável e expressiva. Com tantas mudanças e evoluções, mal podemos esperar para ver o que vem por aí!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s