Frenezi na semana de Alta-Costura

A semana de Alta-Costura, personificação da maior forma de apreciação de moda possível, teve o início para sua temporada de Primavera/Verão 2022 na segunda-feira (24) — e marca também a volta oficial da semana de moda mais opulenta e escapista para as passarelas presenciais.

Começando pelo começo, o que é Alta Costura? Quais as diferenças desta para as outras semanas de moda?

Existia-se um tempo no qual as roupas da aristocracia local eram produzidas como peças individuais dentro do estilo popularizado entre a classe social, peças extremamente caras e de difícil acesso, feitas manualmente.

O primeiro designer a realmente apresentar coleções sazonais como conhecemos hoje foi Charles Frederick Worth — um homem inglês que se tornou o pai da Alta Costyra francesa. Aos treze, Worth foi aprendiz na firma londrina de comerciantes de tecidos Swan & Edgar, mas o verdadeiro começo de seu sucesso foi quando um vestido de corte desenhado por ele para a companhia de sedas de alta qualidade Gagelin- Opigez, foi premiado na exposição universal de 1855, logo depois deixou a carreira em tecidos para se estabelecer como estilista sob seu próprio nome em Paris. E com a ajuda se sua persistente esposa em mostrar os desenhos do Marido Charles Frederick Worth conquista sua maior e mais leal cliente, a Imperatriz Eugênia:

Pintura de Franz Winterhalter de Imperatriz Eugênia e suas Damas e companhia.

“Tal apoio garantiu a Worth uma posição única como costureiro de uma imperatriz, que podia decretar o comprimento de uma bainha segundo seus caprichos.” 

Cronologia da Moda de N.J Stevenson.

A Maison Worth foi o primeiro estabelecimento de alta-costura, ao invés de ter uma costureira que ia nas casas das mulheres, suas clientes visitavam seu prestigioso salão e os vestidos eram feitos sob medida, mediante a uma série de provas, também tornou-se o primeiro costureiro a produzir coleções sazonais que eram depois mostradas as clientes.

O negócio florencia, mas Charles Frederick Worth teve sua morte em 1895, a Maison Worth expandiu-se para Londres e os filhos Gaston e Jean-Philippe se asseguraram que a companhia continuasse crescendo e conservasse a influência do nome da marca na moda de luxo, e em 1910 Gaston Worth fundou la Chambre Syndicale de la Haute Couture, para proteger os direitos de autor e os padrões de qualidade da indústria.

A questão que o Sindicato acabou aumentando de tamanho, abrangendo para um grupo seleto de marcas, essas que foram divididas em três grupos: Membros fixos – que contém nomes como Chanel, Christian Dior, Schiaparelli e Givenchy – Membros Correspondentes – Giorgio Armani Privé, Elie Saab, Fendi Couture e Valentino – e os Membros convidados – Azzaro Couture, Zuhair Murad e Guo Pei. Os membros devem seguir uma série de normas e qualificações organizacionais como da qualidade material e artesanal da produção de suas coleções, para se apresentarem na semana de alta-costura de Paris.

Atualmente a alta-costura representa muito mais que uma apresentação de vestidos de festa para algumas senhoras burguesas, é a maior forma de apreciação de moda como forma de arte uma forma escapista de fazer e desenhar modas, com recursos e alcance que só realmente a alta-costura pode ter.

Schiaparelli coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Confira a cobertura completa da Semana de Alta-Costura de Primavera-Verão:

DIA 1

Começamos o primeiro dia de alta-costura desta temporada com o desfile assinado por Daniel Roseberry para a marca, Schiaparelli, os que não estão familiarizados com a visão do designer para a casa centenária. Roseberry entrou na Schiaparelli com uma grande liberdade criativa, essa ele criou uma própria identidade estética para a marca.  

Historicamente Elsa Schiaparelli é um dos nomes mais reconhecidos na história da moda desde beber com Jean Cocteau e colaborar com Salvador Dalí, a designer foi uma grande bonvivant dos anos boêmios em Paris na década de 1930. Existia um amor e fascinação de Elsa pela arte surrealista, o legado da moda Schiaparelli aparecem cheios de códigos que borram as linhas entre o real e o estético. Nesse cenário Daniel Roseberry olha para a história tão rica da marca e sua fundadora e consegue trazê-la para a atualidade, com seus vestidos de alfaiataria extremamente bem estruturados com placas de acessórios em dourado que conseguem seguir o amor surrealista que existe no DNA da marca e arrecadar a atenção dos amantes de moda.

Schiaparelli coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

A coleção marca a volta da Schiaparelli para as passarelas parisienses depois de um hiato que começou em conjunto com a pandemia, em 2020, a grande inspiração da coleção em si, Roseberry como um grande fã de surrealismo começa a flertar com a outra face da mesma moeda, o existencialismo. A coleção conversa diretamente com o que seria o vazio e qual a relação do mesmo com os cosmos. 

Montagem feita com os desfiles do dia 1, imagens retiradas do Vogue Runway.

Daniel Roseberry conversou sobre com o jornalista Anders Christian Madsen “Existe essa palavra em francês para quando você está dirigindo em um penhasco e sente uma vontade repentina de sair da estrada.  É chamado de ‘o chamado do vazio”’, disse ele durante uma prévia no dia anterior.  “Acho que foi assim que senti o espaço”, explicou ele cercado por vestidos orbitais e bolsas planetárias em seus salões Place Vendôme.  “O vazio é a ausência dessa realidade.”

A inspiração voltada para o escapismo de filmes de ficção científica e galáxias distantes   (Os citados para inspiração da coleção foram: Dune, Prometheus, Interstellar e A chegada), ele se recolhe pensando em outro plano justamente pq alta-costura talvez é a forma com maior escapismo dentro da moda.

“Continuamos dizendo ‘Planeta Schiaparelli’: eu queria fazer algo que parecesse totalmente diferente de qualquer outra pessoa.  Nada mais deveria ser assim.”

Em conjunto pela apreciação recorrente do designer com os arquivos de Schiaparelli, semelhanças como uma capa de 1938 inspirada na fonte do Palácio de Versalhes “Apollo”, e da coleção de Elsa Schiaparelli Zodiac e Cosmique de 1938 também, que entra no tema da coleção atual e seus cosmos.

Schiaparelli coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022 e as inspirações originais de 1938.

Seguindo para o segundo desfile do dia aconteceu no Museu de Rodin em Paris para a apresentação de Maria Grazia Chiuri na Christian Dior. A designer faz referência ao artesanato nessa coleção de alta-costura, uma paixão provinda de suas raízes italianas. Utilizou de uma paleta simples girando em torno do preto, branco e cinza, com roupas básicas expressadas em alfaiataria, vestidos longos, macacões e capas com costuras simples. 

Atmosfera desfile da Dior no Museu De Rodin.

Uma releitura do minimalismo aos olhos de Chiuri, a frente de uma das marcas com um dos maiores legados dentro da alta-costura, a sede dos amantes de moda por esplendor e exuberância cresce cada vez mais principalmente na Dior, o minimalismo pode não ser o que é esperado para a marca, mas temos que admitir que ainda existe uma qualidade manual e maestria no artesanato que acontece na Dior.

Christian Dior coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Terminamos o dia com Azzaro Couture, após dois anos de isolamento Oliver Theyskens faz sua previsão para as festas e a vida pós-pandemia, vale relevar que o designer que hoje assina a coleção para a casa não era um grande fã de lantejoulas e grandes momentos ligados a festas, durante essa temporada ele explica como é libertador a confiança que se tem em um ateliê de alta-costura para a jornalista Ellie Pithers:

Fotos de todos os desfiles do dia 1: Schiaparelli, Azzaro e Christian Dior. Retiradas do Vogue Runway.

Adoro a possibilidade de brincar com coisas que antes era mais tímido: paillettes, cristais, lantejoulas, disse ele, em prévia na sede da casa no oitavo arrondissement. Isso é uma coisa típica da Azzaro, e estou descobrindo  como pode ser bonito.  Parte disso se deve ao bom relacionamento de trabalho com a equipe do ateliê.  Quando você entende a cultura, o que [o atelier] sabe fazer, você pode ter certeza que quando você faz um design, ele será feito corretamente.”

De uma alfaiataria envolvendo texturas e bordados diversos, com conjuntos de mangas longas e calças que poderiam ter saído do guarda-roupa de Jane Birkin nos anos 70, recebemos uma coleção bem interessante no quesito de roupas agênero dentro da alta-costura, ternos coloridos em um metálico líquido, de veludo e com cristais fazem parte da coleção. Vestidos com caimentos estratégicos e bordados bem posicionados também fazem parte da coleção de Theyskens, afinal ainda é alta-costura.

DIA 2

O segundo dia da semana de alta-costura começa com uma atmosfera imersiva na Chanel de Virginie Viard, para o cenário de apresentação a marca colaborou com o artista Xavier Veilhan para transformar a sala de desfiles. A coleção de Viard tem como sua maior inspiração a década de 1920, o que foi o bastante para inspirar o artista plástico na produção, se baseando nas Wold Fairs da década de 20 e em artistas como Sonia e Robert Delaunay: “Acho que na moda há sempre essa ideia de relação com a história, mas também de sempre renovar constantemente.  Como artista, senti que poderia fornecer outra relação com o tempo.” Ele explica para o jornalista Hamish Bowles.

Atmosfera desfile da Dior no Museu De Rodin.

Apesar de uma atmosfera que realmente tem a grandiosidade e o peso de uma marca de décadas na alta-costura como a Chanel, mesmo com a Princesa Charlotte de Mônaco literalmente galopando em um cavalo na passarela com um terninho de tweed chanel – a coleção é confusa.

Talvez sejam suas precursoras, durante o ano de 2021 foi possível observar uma grande mudança na Chanel de Virginie Viard, ao invés de olhar para o legado do falecido Karl Lagerfeld, a designer se encontrou mesmo retratando e tirando inspirações de movimentos jovens e mulheres fortes – Pre-Fall, Resort e Primavera Verão 2022 – esse afastamento permitiu o amadurecimento das ideias e a direção clara para a marca, que estavam sendo coleções interessantes e que lhe deixavam animada para ver qual seria a próxima. Infelizmente esse sentimento não é muito perceptível nas coleções de alta-costura.

Montagem feita com os desfiles do dia 2, imagens retiradas do Vogue Runway.

Inspirado na estética dos anos 20, na menina interior e na modalidade esportiva de hipismo. A presença de looks de chiffon, organza, com penas e os clássicos tweeds de Coco Chanel foram indispensáveis neste universo criado por Virginie Viard, em parceria com Xavier Veilhan – o maior problema dessa coleção talvez fosse exatamente que as principais fontes de inspiração para a coleção não são um conceito claro, com alguns looks com diversas características diferentes perdendo um pouco a coesão e fluidez.

Chanel coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Contudo, seguimos em um ano que esperamos ser forte para Viard em sua trajetória na Chanel, com suas inspirações em mulheres fortes e honrando o atelier de gerações da marca.

O designer Alexis Mabille explicou no backstage para a jornalista Tina Isaac-Goizé que sua coleção de 25 looks poderia ser delicada a primeira vista mas sua primeira inspiração para a confecção da coleção foi o desejo “It’s all about desire”, com tons neutros, formas que se assemelham a lingeries e rendas, mas ainda não consegue se desprender das amarras delicadas de sua marca, sendo o look final uma capa com um laço estruturado bem na cabeça.

Alexis Mabille soube encontrar a feminilidade e graça para navegar entre os tons de rosa, bege, preto e dourado. Sua mistura de drapeados, vestidos sanfonados, laços de cetim, rendas e paetês descreveu bem o tom que a coleção foi capaz de passar.

Alexis Mabille coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

O dia termina com a coleção de Alexandre Vauthier, a marca é membro recorrente da semana de alta-costura desde 2014 – quando entrou para o Sindicato Francês de alta-costura e moda – com seu DNA amarrado no evening wear, em roupas de festas com uma alfaiataria forte e complexa, Vauthier é ombros altos, mini comprimentos, fendas, metálicos e lantejoulas.

Nesta coleção não foi diferente, com o designer falando ao WWD sobre sua inspiração nas histórias e narrativas que retratam as festas e a liberdade dos anos 20 em Paris, com decotes em triângulo, cinturas baixas, camadas de chiffon nas bainhas e bordados, como por exemplo no primeiro look da coleção já conseguimos entender exatamente onde a inspiração foi.

Alexandre Vauthier coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Além de um olhar moderno e muito bem executado sobre o visual de festas para agora em diante, um sexy velado, com recortes estratégicos, plumas, capas e vestidos turquesa cobertos de cristais. A  marca trás um diálogo sobre a mulher moderna, que usaria um terno ou plumas para trabalhar até a noite de festa, e ninguém sabe vestir para uma noite em claro como Alexandre Vauthier.

Fotos de todos os desfiles do dia 2: Chanel, Alexis Mabille, RDK e Alexandre Vauthier. Retiradas do Vogue Runway.

Elevando o patamar da palavra “vanguarda”, Ronald Van Der Kemp explora as inúmeras possibilidades de formas, silhuetas, cores e materiais com sua admirável criatividade. O holandês se destacou mais uma vez pela sinergia de ideias em sua coleção. O designer já foi reconhecido pela comunidade da alta-costura como sendo exatamente a vanguarda dentro do Sindicato, diferente das casas made-to-order tradicionais, a marca utiliza de diferentes materiais e tecidos para suas coleções de alta-costura, até mesmo materiais que já haviam sido utilizados antes.

O holandês ao mesmo tempo traz um respiro necessário para a semana, cheia de vestidos limpos e minimalistas de chiffon, em contraste com seus grandes e coloridos momentos. Alguns exemplos de roupas como, um vestido pintado à mão com ombros esculturais no Look 2,  um macacão de pássaro disco assimétrico de perna única com asas de organza de seda no Look 5, uma jaqueta combinando e jeans feitos de jeans descartados emendados e moldados em um motivo de escama de jacaré no Look 11,  e para fechar um vestido de festa feito de fatias geométricas entrelaçadas de feltro ecológico no Look 34.

Quem mais conseguiria uma clientela base para esses looks sem ser Ronald Van Der Kemp? Mas apesar disso há certa admiração pela harmonia improvável entre a coleção, cada peça de roupa é pensada individualmente e duramente trabalhada e construída individualmente mas, é possível entender a linha de pensamento do designer olhando para a coleção como um grupo, uma linha de raciocínio de um cliente específico e fechado mas com uma identidade visual clara.

Alexandre Vauthier coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

DIA 3

Uma coisa podemos confirmar com certeza no coração, Zuhair Murad é um romântico de mão cheia, os anos de pandemia não foram os mais fáceis para a marca, de problemas financeiros que a pandemia afeta especificamente a clientela de Murad – os clientes para vestidos de gala e festas – em conjunto com o ateliê na cidade natal do designer Beirute no Líbano ter sido destruído na explosão no porto da cidade em agosto de 2020.

Montagem feita com os desfiles do dia 3, imagens retiradas do Vogue Runway.

Mesmo com problemas parece que o coração e esperança continuam no mesmo lugar, tomando inspiração em histórias aventureiras e românticas de piratas no século XVIII, deixando sua inspiração clara no começo da coleção com o primeiro look exibindo um grande chapéu de pirata preto e um terno de alfaiataria desconstruído sendo seus ombros e bainha cobertos por correntes douradas e pedrarias.

Zuhair Murad coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

Murad não é reconhecido como um grande vanguardista ou um estilista de conceito, ele faz vestidos de festas que são campeões de vendas e extremamente bem executados, o que acontece retirando o primeiro look, o número 4 e 5. A inspiração se detém a chapeus de pirata e faixas de cabelo atravessadas que combinam com as cores dos vestidos, como qualquer outra coleção do designer o romantismo, os vestidos esvoaçantes de pedrarias e cores sólidas e limpas tomam conta de grande parte da coleção.

Isso não é exatamente uma dura crítica Zuhair Murad sempre deixou claro a estética da sua marca, mesmo que variando os “temas” entre coleções, apesar de uma temporada atordoada para o designer ele mantém suas esperanças e deixa claro que essa coleção é para sua clientela com saudades de uma grande festa e amor no coração: .  “Precisamos viajar com nossa imaginação, esquecer um pouco de nós mesmos e das dificuldades que nossa realidade está nos colocando”. E como todo bom romântico ele escolhe um tema de uma história grandiosa e extravagante, assim como seu vestido de noiva no final da coleção, perfeito para uma noiva princesa de Dubai.

Zuhair Murad coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

As apresentações da  Valentino são sempre ansiosamente aguardadas, especialmente quando falamos de alta-costura. O responsável por essa comoção tem sido, há mais de 5 anos, Pierpaolo Piccioli. Em seus anos na maison, o mesmo vem construindo um forte legado para si, marcado pelo seu audacioso uso de cores e suas arrojadas silhuetas. Entretanto, Piccioli não virou queridinho do tapete vermelho apenas por isso em sua visão progressista e sua vontade de ‘mudar os valores’ são o que fazem dele um dos mais inovadores designers dos últimos tempos.

Valentino coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

Em sua apresentação (26) com apenas 65 convidados, que respeitavam o distanciamento social e vestiam preto dos pés à cabeça, Pierpaolo demonstrou como a alta-costura consegue construir estonteantes silhuetas em qualquer tipo físico. ‘Keep the codes, but change the values’ uma referência clara em manter a qualidade no trabalho artístico e manual da alta-costura sem as amarras culturais dos valores do termo.

Seu talento de capturar beleza independente do formato do corpo ficou ainda mais evidente nesta coleção. O vestido de tule chocolate coberto por dois quilos de miçangas de vidro Veneziano que abraça e faz jus ao formato de corpo tão ‘fora dos padrões’ da alta-costura. O grande diferencial da visão de Piccioli para a Valentino, é justamente o fato de realmente celebrar corpos reais na passarela, os dando espaço, voz e sensualidade. Piccioli disse, em entrevista, tem usado 10 ‘modelos da casa’ para a criação de sua coleção e não apenas uma – como é tradicionalmente. Desta maneira, ele pode trabalhar em diferentes proporções e lisonjear suas diferentes silhuetas.

Além da grande – e magnífica – diversidade entres modelos femininas. Piccioli deu aos homens espaço na alta-costura com direito a transparência, brilho, luvas de ópera, silhueta marcada e impecável alfaiataria. Seu trabalho em ‘capturar as modificações do corpo’ vem sendo feito com maestria, especialmente ao convidar modelos mais velhas do que o ‘padrão’ na alta-costura. Kristen McMenamy, Marie Sophie Wilson, Lara Stone, Violetta Sanchez, Lynn Koster e Jon Kortajarena levaram confiança aos seus looks e se fundiram perfeitamente com o cast. Afirmando a narrativa de Pierpaolo: alta-costura é para todos.

Valentino coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

Em setembro de 2021 foi anunciado que Glenn Martens, diretor criativo da Y/Project, seria o próximo designer convidado para comandar a coleção de alta-costura em 2022 – depois de uma colaboração não tão impressionante com a designer japonesa Chitose Abe, criadora da marca Sacai.

O que não esperávamos é que essa seria umas das melhores e mais certeiras colaborações dos últimos tempos. Além de umas das coleções mais marcantes dessa temporada de alta-costura. Glenn Martens deixou todos fascinados e de queixos caídos com sua coleção, que contou com 36 looks – desde exagerados vestidos de baile à exaltação de uma silhueta com torso marcado, (muito) tule drapeado e quadris em movimento.

Jean Paul Gaultier coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

Logo após seu recente sucesso com sua coleção de menswear do Y/Project, Martens volta aos holofotes e nos entrega um delicioso gosto nostálgico misturado com inovação e um manual de como a alta-costura e marcas tão celebrados no passado, como JPG, podem se adaptar aos dias de hoje.

Com menções a coleções passadas, Glenn trouxe para as passarelas a força dos corsets – que além de serem marca registrada de JPG, vêm também marcados presenças como um trend recente. Trabalhos impecáveis com tules que envolvem e abraçam a silhueta, também esconde a face e traz volume dramático. Transparência nos lugares e dos jeitos certos.

Referências de arquivo nos desfiles de alta-costura Primavera Verão 2022: Em ordem Valentino e Jean Paul Gaultier.

Entretanto, além de trazer referências do passado – 1991, 1997, 2002 – ele também traz sua assinatura, que pudemos testemunhar através de seu trabalho com Y/Project, como as saias que parecem se movimentar por conta própria, estampas hipnóticas e flores de metal em 3d.

Jean Paul Gaultier coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

O designer belga recrutado pela primeira vez por Gaultier em 2008, hoje (26) nos trouxe um show de exuberância em cada um de seus looks. Sensualidade, silhuetas anatômicas, tridimensionalidade, tudo isso acompanhado por uma passarelas com modelos que se mantinham sérias e andavam vagarosamente nos dando o tempo necessário para ‘digestão’ de cada modelito.

‘Tem somente uma vez na minha vida que posso fazer um vestido com uma cauda de 15 metros’, diz Glenn Martens.

Jean Paul Gaultier coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Falando em histórias grandiosas, vamos para a dupla Viktor & Rolf, que assim como RDVK são reconhecidos entre a área mais vanguardista dentro da alta-costura, e ao contrário do último desfile as roupas da dupla holandesa não são construídas visando vendas e números, elas apresentam sempre um conceito e a apresentação de um tema forte, qual é levado sempre aos extremos. Misturando silhuetas e cores que podem torcer o nariz mas a dupla sempre consegue surpreender o público.

Ao pensar em alta-costura dificilmente associamos com o terror e uma imagética exótica do gênero, mas na verdade, como provamos no texto especial de halloween entre moda e horror, os filmes do gênero já foram utilizados inúmeras vezes como fonte primária de inspiração dentro da moda de luxo. Para seu desfile de Primavera Verão 2022, os fundadores e diretores criativos da marca Viktor Horsting and Rolf Snoeren se voltaram para o vampiresco, com ombros altos e costas largas, uma imagem não só lembrada pelo Tio Fester em Família Addams como uma referência  a forma dos filmes da antiga Hollywood de retratar o vampiro mais famoso do cinema – Conde Drácula – a inspiração em todos os elementos dessa estética ficam bem claros ao decorrer da coleção, principalmente entre os looks de ternos com os ombros exagerados nos looks 1 e 13.

Viktor & Rolf coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

A estética da marca como um todo sempre brinca com as linhas do real e do imaginário, quase sempre entre do estilo camp em conjunto com a qualidade da confecção de alta-costura, entre o vestido de Wednesday Addams, com colar Peter Pan e trancinhas duplas – look 5 – e os vestidos em tons pastéis a coleção pode ter ficado perdida no meio, mesmo com uma oportunidade muito boa de um tema tão genioso e uma marca que emerge o espectador em seu conceito. Entre família Addams e Drácula era possível ter entregado uma grande coleção de alta-costura com essas referências, não apenas ombros altos e algumas golas.

Viktor & Rolf coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022

O libanês Elie Saab retornou com seu primeiro desfile em dois anos da melhor maneira possível: reforçou a sua estética e entregou exatamente o que a sua clientela espera e consome. Internacionalmente conhecido pelo maximalismo, a coleção  não foge à ideia: mangas bufantes, volumes escandalosos e bordados executados com maestria são os destaques do desfile, que se utilizou de cores solares para recriar um verão no Mediterrâneo como inspiração primordial do desfile.

Assim como Murad, a Elie Saab é reconhecida internacionalmente por seus vestidos de festa e gala, suas roupas não necessariamente tem um storytelling claro ou forte, mas são lindos vestidos feitos com a atenção artesanal quase impecável. Esses vestidos de festa são destinados a um público maior de vendas, mesmo que ainda estamos falando de um dos ramos mais caros da alta-costura, continua sendo mais fácil vender para um evento um vestido de brilhos com silhueta marcada e sensual de Saab, ao invés dos ombros nas alturas de Viktor & Rolf. 

Elie Saab coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

A grande característica desse desfile talvez tenha sido a liberdade criativa do designer ao criar essa coleção, mesmo que não seja o gosto pessoal de todos um vestido com uma cauda enorme de flores rosa-choque como no primeiro look, ainda apresenta as características dominantes da marca, como corpetes, cristais e fendas. É uma coleção que conquista a sua clientela de longa data, e ao mesmo tempo pode conquistar novos clientes que estão ansiosos por algo novo ou diferente. E até mesmo algo quase tão escapista da realidade geral que se torna romântico.

Um dos nomes mais novos na Alta Costura, o designer Charles de Vilmorin possui uma estética única que vem conquistando admiradores ao redor do mundo — e que recentemente lhe garantiu o posto de diretor criativo da Rochas. Seus já clássicos desenhos e proporções teatrais marcaram presença na temporada (inspirada por alegorias de vida e morte; e sua própria jornada criativa) reforçando a sua estética que mescla fantasia e obscuridade.

Charles De Vilmorin coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

DIA 4

Para a mais nova coleção de alta-costura de sua marca homônima, Julie de Libran reuniu vestidos que expressam a feminilidade com um toque único de sutileza. Com um acabamento preciso e uma produção rica em detalhes 一 o que remonta à uma das características mais precisas e fiéis às criações de Libran 一, a coleção ainda conta com a presença de overcoats, vestidos em cores vibrantes e plumas mais simplistas. 

Julie de Libran apresenta para sua coleção de Primavera Verão uma clara demonstração de lealdade ao seu cliente base, com roupas pensadas para o consumo que honram as características claras da marca, rica em detalhes e ainda com uma surpresa de algumas das grandes tendências para 2022 em vestidos de festas. Uma coleção organizada, com detalhes bem pensados e bem comercial.

Montagem feita com os desfiles do dia 4, imagens retiradas do Vogue Runway.

A terceira coleção de Alta Costura de Kim Jones para a Fendi segue a mesma estética das anteriores: roupas  com forte apelo ao clássico e em modelagens e silhuetas já vistas antes. De fato este é um novo território para o designer, mas devemos levar em consideração que fazer Alta Costura é a epítome dos estilistas — justamente pelas inúmeras possibilidades de criação e a capacidade manual de uma grande equipe especializada em moda como arte — e Kim parece não estar aproveitando muito bem seu novo cargo.

A coleção tem como inspiração Roma, cidade que também deu os trilhos da última apresentação de Couture e onde a marca foi fundada, e traz elementos da antiguidade em estampas e motivos — como as estátuas do Palazzo della Civiltà Italiana, que foram estampadas em veludo nas peças; e os bordados que lembram colunas e estruturas arquitetônicas romanas. Para trazer as referências para a atualidade Jones mesclou elementos sci-fi e celestiais, que estavam presentes tanto nos arranjos luminosos do cenário quanto na paleta da coleção, composta majoritariamente por preto, marinho e vermelho.

Fendi coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

A paleta é mais um dos elementos questionáveis do design de Kim para a Fendi: se por um lado a escolha de cores da sua Dior masculina é tida como certeira e perfeita, na Fendi o estilista parece não se arriscar ao optar por tons e composições “fáceis”, que no final entregam um resultado pouco comovente. Levando em consideração os diferentes tons que estavam tão presentes no trabalho de Silvia Venturini e Karl Lagerfeld — e obviamente considerando as diferenças entre o imaginário dos três diretores —, o produto final de Jones é bem desanimador.

Montagem feita com os desfiles do dia 4, imagens retiradas do Vogue Runway.

O fato da marca ser ainda “novata” na Alta Costura (Karl desfilou apenas quatro coleções Couture e Silvia uma) em comparação a outras maisons deveria servir de motivação para o designer, já que dá carta branca para que Kim possa desenvolver uma estética própria livre de códigos clássicos. A alfaiataria aclamada pela crítica em suas coleções, por exemplo, dialoga perfeitamente com a mulher contemporânea — ao contrário dos vestidos em silhuetas monásticas e corte reto que ele vem apresentando — mas não passa nem perto da temporada apresentada hoje.

Encerrando a semana de alta-costura e fazendo sua estréia oficialmente no calendário como membro da comunidade, a marca da russa Yulia Yanina apostou em uma paleta de cores totalmente colorida 一 paleta na qual faz uma referência às cores do arco-íris 一 variando entre tons vibrantes e mais pastéis, além do uso preciso da transparência e leveza na maioria de suas peças. Apesar dos esforços de Yanina em encerrar a semana num espírito animador e vibrante, a única vontade verdadeira quando se olha para os enormes vestidos de tule em cores vibrantes – quase neons- de arco-íris é de fechar os olhos.

Yanina Couture coleção de alta-costura de Primavera Verão 2022.

Um comentário em “Frenezi na semana de Alta-Costura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s