Quem foi Edith Head?

Edith Head, nascida em 28 de outubro de 1897, foi uma das mais ilustres e influentes estilistas na história do cinema , ajudando a definir o estilo de uma Hollywood na sua Era de Ouro. Em  seu repertório, que se estende por cinco décadas e mais de 1000 filmes, dentre diversas conquistas, reúne o recorde de oito estatuetas no Oscar por Melhor Figurino.

Pré-Hollywood

Edith nasceu em São Bernardino, Califórnia, filha de pais judeus Max Posener e Anna E. Levy. O casamento de seus pais não sobreviveu e quando Anna voltou a se casar, dessa vez com o católico engenheiro de minas Frank Spare, Edith tornou-se adepta do catolicismo. Durante a infância, sua a família mudava-se frequentemente, à medida que os trabalhos de seu padrasto mudavam e por conta disso, mais tarde, Head só conseguia se recordar de um dos lugares onde viveu quando jovem, Searchlight, Nevada.

Apesar de ter se formado com honras em Letras na Universidade da Califórnia em 1919 e no ano seguinte conquistado um mestrado em Línguas Românticas da Universidade de Stanford, Edith sempre foi muito interessada em design.

Procurando aumentar o seu salário como professora na Bishop’s School, ela se ofereceu como professora de artes, mesmo sem ter domínio completo de suas capacidades artísticas. Para compensar por essa falta, Head frequentou a Otis Art Institute e a Chouinard Art College no período noturno.

[Imagem: Getty Images]

“You can have anything in life if you dress for it”

Incrivelmente, pouco tempo depois Edith Head foi contratada como sketch artist, a trabalhar sob Howard Greer, figurinista principal na Paramount Pictures, lá ela permaneceu durante 43 anos. Mais tarde ela admitiu ter pegado “emprestado” alguns dos desenhos dos seus colegas para sua entrevista de emprego.

No início ela produziu trajes para filmes mudos, mas já na década de 1930 ela era considerada uma das mais importantes figurinistas em Hollywood. A princípio Head foi ofuscada pelos estilistas principais do estúdio, Howard Greer e depois Travis Banton, entretanto Edith foi instrumental na conspiração contra Banton que por conta do seu alcoolismo foi demitido, assim ela foi de assistente para Designer Principal.

Durante o tempo em que trabalhou para a Paramount Studios, Edith Head chamou a atenção do público com um vestido de pele de visom para a Ginger Rogers em A Mulher Que Não Sabia Amar (1944), estimado em 35 milhões de dólares, que é considerado um dos figurinos mais caros já feitos.

[Imagem: Shutterstock]

Já em 1949, com a criação da categoria de Melhor Figurino no Oscar seu nome ficou ainda mais conhecido, a estilista alcançou mais de 30 indicações e ganhou oito delas, a começar por A Valsa do Imperador (1948).

Head era a favorita de muitas estrelas femininas da época como Tippie Hedren, Audrey Hepburn, Elizabeth Taylor, entre outros. Ela se destacava por manter ótimas relações com os atores que vestia, além de consultá-los extensivamente. Grace Kelly foi uma de suas parcerias favoritas, vestindo-a em quatro filmes diferentes, um dos seus looks icônicos é, por exemplo, o vestido azul em Ladrão de Casaca (1955) de Alfred Hitchcock.

[Imagem: Academy Film Archive]

Tornou-se uma personalidade reconhecível, por conta d seu estilo pessoal diferenciado e por sua personalidade sincera que inspirou a personagem Edna Moda de Os Incríveis (2004) e Os Incríveis 2 (2018). O visual de Edith era sempre simples e icônico. A estilista tinha uma preferência por óculos de armação grossa, tons neutros e peças conservadoras não apenas por se sentir bem, mas também para não tirar o foco de suas estrelas durante as provas de roupa.

[Gif: Tenor/Pixar]

Além de seus trabalhos principais, Edith ainda encontrou tempo em 1959 e 1967 para reaplicar o seu conhecimento em letras escrevendo os livros The Dress Doctor e How to Dress for Success, respectivamente.

Da Paramount para a Universal

Em 1967, possivelmente por influência de Alfred Hitchcock com já havia assinado as peças de 11 filmes, Edith Head iniciou um novo contrato com a Universal Studios trabalhou até seus últimos dias em 1981. 

Apesar de ainda ser muito admirada, a Hollywood dos anos 1940-50 já não era a mesma na década de 1970, Edith então passou a dar mais atenção a TV onde fez, por exemplo, o guarda roupa de Endora da série A Feiticeira.

Em 1974 a figurinista foi reconhecida por Hollywood e ganhou a sua estrela na calçada da fama. No mesmo ano ela recebeu seu último Oscar por seu trabalho em Golpe de Mestre (1973).

[Imagem: Everett]

Edith Head, não teve filhos e foi casada primeiramente com Charles Head, de 1925 até 1936, depois de se divorciar manteve o nome pelo qual ficou conhecida e só casou-se novamente em 1940 com Wiard Ihnen. Seu segundo casamento duraria até a morte dele em 1979. Até que quatro dias antes de seu aniversário e 24 de outubro de 1981 ela faleceu, vítima de uma doença na medula óssea.

[Imagem: Academy Film Archive]

Ainda que muito associada hoje em dia à personagem Edna Moda, Edith Head foi conhecida pela versatilidade de seus designs, entregando desde simplicidade e elegância até trajes excêntricos e chamativos, todos memoráveis na sua própria maneira. 

A queridinha das queridinhas de Hollywood é capaz de trabalhar até com os atores mais temperamentais. A “rainha dos figurinos” segue sendo um exemplo até os dias de hoje, não apenas por sua visão artística, mas por sua total determinação pelo sucesso e uma capacidade empática que permitia simultaneamente a expressividade nos seus designs, segurança aos seus atores e confiança dos seus diretores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s