Clássico e Gótico se Encontram na MFW

Sempre festiva, sofisticada e interessante, a Milão Fashion Week aconteceu de 23 a 28 de fevereiro e exibiu elementos de beleza já familiares, porém numa nova roupagem, mostrando ao público evoluções e novas interpretações do momento. 

Thomas de Kluyver, consultor global de maquiagem da Gucci, descreveu seu trabalho nessa temporada como brincalhão, divertido, irrestrito e não clássico. A grife, que lançou sua collab inédita com a Adidas, aproveitou elementos presentes em muitos outros desfiles da temporada, como olhos e boca marcados, e pele iluminada. Porém com vivacidade, brilhos, pedras, resultando em uma interpretação única às tendências.

O trabalho de Inge Grognard na Blumarine foi mais sombrio e ousado, com destaque total à boca vermelha e preta. Os penteados idealizados por Anthony Turner têm como proposta mesclar sensualidade, romantismo, e um certo ar de mistério com o véu.

Armani também usou cores, porém mais delicadas e combinadas a delineado gráficos pretos. A beleza idealizada por Linda Cantello veio do desejo de Giorgio Armani de apresentar um olhar alongado. Segundo a maquiadora, o batom líquido rosa, aplicado nos olhos como uma  sombra forte, aparece para dar um toque jovem e contemporâneo dentro do punk. Nos lábios, apenas um lápis com tom próximo ao natural.

Ainda na linha do gráfico, a Versace foi um dos grandes destaques de Beauty da MFW. Liderado pela dupla querida do mês da Moda, Pat McGrath e Guido Palau, o look Versace teve as sobrancelhas platinadas presentes nos produções mais alternativos dos anos 90, fazendo um interessante contraste com olhos super marcados, a la Julia Fox (que vale destacar, teve seu seu visual criado por Daniel Kolaric, maquiador da equipe de McGrath, e se utilizou de referências criadas e passadas pela própria Pat. Sem coincidências aqui). O cabelo é o super liso repartido já visto em outros shows da casa.

Na contramão, a Missioni apostou numa beleza fácil. Para o cabelo, a ideia de Mustafa Yanaz foi um look “imperfeito”, que se aproximou das texturas naturais dos modelos. Enquanto Jen Myles entregou uma maquiagem descomplicada, com tons terrosos e pontos de luz.

O cabelo molhado, já se tornou parte quase obrigatória dos looks de passarela e em Milão apareceu para levar um toque moderno e fresco aos desfiles. Este foi marcante no trabalho de Guido Palau para a Fendi de Kim Jones, que no caso também utilizou a técnica para dar um ar mais maduro à coleção. A maquiagem assinada por Peter Philips foi natural e iluminada, conversando com os fios.

Palau também levou o wet hair para a Prada numa proposta mais noventista, que misturou o coque clássico e o minimalismo pedido por Miuccia Prada e Raf Simons, com referências futuristas e arquitetônicas vistas no volume do penteado e acabamento. Tudo combinado com a proposta, também futurista, da maquiagem de Pat McGrath: iluminada, leve e muito natural.

O que podemos tirar é, que entre referência a décadas passadas e elementos futuristas, teremos uma beleza vanguardista e ainda assim chic e leve, para transmitir força e confiança. Uma ótima combinação para a Semana Italiana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s