[Crítica] ‘Versions of Me’ aposta em vários estilos musicais, mas acerta em poucos

O tão aguardado álbum de Anitta, Versions of Me, foi finalmente lançado na última terça-feira (12). O seu quinto projeto de estúdio é o primeiro lançamento com a gravadora internacional Warner Records.

Depois de 3 anos após seu último disco com orientações mais internacionais, o Kisses, a cantora volta com suas múltiplas facetas e diferentes estilos musicais como funk carioca, reggaeton, trap, pop rock, pagodão baiano e R&B.

O álbum trilíngue conta com 15 faixas e participações especiais de Chencho Corleone, Ty Dolla $ign, Afro B, Khalid, Saweetie, YG, Papatinho, MC Kevin o Chris, Mr. Catra, Myke Towers e Cardi B. A produção executiva do projeto é assinada por Ryan Tedder e Anitta. Já a mixagem ficou nas mãos de Jaycen Joshua e a masterização por Chris Gehringer, Colin Leonard e Dave Kutch.

Capa e Tracklist oficial de Versions of Me [Imagens: Reprodução/Instagram]

Versions Of Me já começa com o maior hit internacional da carreira da Anitta, Envolver. O quarto single que explora a sonoridade do reggaeton foi lançado em 11 de novembro de 2021 e viralizou alguns meses depois nas redes sociais pela coreografia do videoclipe, conhecido como o desafio “El paso de Anitta”. 

A canção se tornou a primeira entrada solo de uma artista latina na primeira posição do Spotify Global. Na parada musical da Billboard Global 200 alcançou o segundo lugar e se manteve no Top 10 pela terceira semana seguida. Já na Billboard Hot 100, Envolver superou o recorde de Me Gusta e conseguiu a 70ª posição.

Algumas semanas depois do feito histórico na parada musical do Spotify, alguns portais de notícias brasileiros postaram matérias com uma possível acusação de fraude para atingir o primeiro lugar global. A denúncia estava baseada no compartilhamento de uma conta oficial de fãs da cantora que ensinava como criar mais de uma conta na plataforma de streaming e elaborar playlists em que Envolver tocaria várias vezes ao longo de horas.

Apesar dessa ser uma tática para driblar as exigências do Spotify e maximizar os streamings dos fãs, ela acaba sendo comum no fandom de diversos artistas. Os termos da plataforma não diferenciam o que seria uma manipulação ou apenas fãs ouvindo a música inúmeras vezes para ajudar o ídolo.

Em reportagem divulgada no portal de notícias G1, fica claro que os brasileiros ajudaram a canção atingir o número 1, principalmente por serem a maioria das reproduções nos três dias que a música ficou no topo. Mas a canção chegou no Top 10 Global sendo mais ouvida fora do país e continuaria entre as 10 mais ouvidas até no dia que bateu recordes.

Passando para a segunda faixa do disco temos Gata, uma parceria com o cantor porto riquenho Chencho Corleone, muito conhecido no ritmo reggaeton. A música usa o sample de Guatauba do Plan B, duo em que Chencho participava com o cantor Maldy. Gata talvez seja a próxima aposta do álbum depois do sucesso de Envolver por ser um reggaeton animado, com referência a um sucesso de 2002 e pela sua virada no final para o funk brasileiro.

Ensaio de divulgação do novo álbum de Anitta [Imagens: Reprodução/Instagram]

Seguimos com I’d Rather Have Sex que mostra um lado da cantora muito conhecido por falar abertamente de sua liberdade sexual. A faixa é uma mistura sexy de música eletrônica com funk e tem como sample Boys & Girls de Will.i.am e Pia Mia.

A quarta música é Gimme Your Number, uma parceria entre Anitta e Ty Dolla $ign. A faixa usa o sample de La Bamba de Ritchie Valens, o primeiro grande hit nos Estados Unidos cantado totalmente em espanhol. Lançado em 1958, La Bamba atingiu o Top 30 nas paradas musicais americanas e foi considerada uma união de sucesso entre a música tradicional latina e o rock. Gimme Your Number brinca trazendo o trap e o hip-hop para uma das melodias mais reconhecidas internacionalmente e ainda coloca Ty Dolla $ign para arriscar em alguns versos em espanhol.

Maria Elegante com participação do britânico Afro B é a quinta faixa com seus ritmos latinos e a influência do afrobeat. Misturando inglês e espanhol, a música tem melodia cativante e é uma das essenciais do álbum.

Já em Love You, vemos uma Anitta mais apaixonada e reflexiva. A balada mais pop fala sobre como é difícil deixar alguém e com toda certeza você continuará amando aquela certa pessoa. Mas como a cantora coloca todas as suas versões em jogo, continuamos o álbum com Boys Don’t Cry que fala daqueles homens chorões que não largam o pé da cantora.

A música foi o quinto single, lançado em 27 de janeiro deste ano. Com videoclipe dirigido por Anitta e Christian Breslauer cheios de referências cinematográficas, como os filmes Beetlejuice, Harry Potter, Titanic, O Quinto Elemento e A Noiva em Fuga. A faixa se destaca por ser um pop-rock com os famosos teclados sintetizadores e como single ganhou apresentação no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon e performance no Lollapalooza Brasil 2022 com a cantora Miley Cyrus.

A faixa-título Versions of Me conversa muito com a anterior pelo uso de sintetizadores, mas dessa vez com orientações mais eletrônicas e pop. A letra fala sobre as diferentes versões da cantora em um relacionamento, tema recorrente nas músicas anteriores. Talvez essa faixa seja outra que deverá ser single ainda esse ano, pois sumariza muito bem o conceito do álbum e é a favorita da crítica.

Turn It Up é a nona faixa do álbum, misturando inglês e espanhol, sendo um pop mais calmo com uma letra de romance. Já Ur Baby com o cantor Khalid, nas palavras da cantora, é uma música mais romântica e R&B para ouvir quando se está apaixonado e pensando em alguém. A canção usa no início um sample de A Garden of Peace de Lonnie Liston Smith.

Seguimos o disco com Girl From Rio, talvez uma das músicas que mudou a carreira de Anitta no último ano, já que passou a ser conhecida internacionalmente. Vale lembrar que esse era o nome anterior ao álbum, mas após o sucesso de Envolver a cantora não viu necessidade em maiores apresentações de sua versão brasileira.

Lançado como segundo single do álbum em 29 de abril de 2021, a faixa conta com o icônico sample de Garota de Ipanema de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. O videoclipe alterna entre duas versões do Rio de Janeiro, a primeira sendo a reprodução da Praia de Ipanema com toques vintage, e a segunda são cenas do Piscinão de Ramos com a sua família.

Girl From Rio alcançou a 164° posição na Billboard Global 200 e ganhou apresentações no The Today Show, Jimmy Kimmel Live!, no intervalo do VMA 2021 e Miley’s New Year’s Eve Party.

Cenas das apresentações de Girl From Rio no VMA 2021 e Jimmy Kimmel Live! [Imagens: Reprodução]

Faking Love é o terceiro single de Versions of Me, lançado em 14 de outubro de 2021, com a participação da rapper americana Saweetie. O melody funk em inglês ganhou um videoclipe, coreografia e a primeira apresentação da artista no  The Late Late Show with James Corden

Que Rabão conta com a participação de YG, Kevin O Chris, produção do Papatinho e os vocais de Mr. Catra. Essa é a única faixa em português do álbum e carrega um significado muito especial. Com intenção de homenagear o funkeiro, a cantora decidiu doar sua parte dos lucros da canção para a família de Catra, que faleceu em 2018 por decorrência de um câncer.

A penúltima música do disco é Me Gusta, lançada como o primeiro single em 18 de setembro de 2020. A canção é uma parceria com a rapper americana Cardi B e do porto-riquenho Myke Towers. Misturando funk, pagodão baiano e pop latino, a faixa estreou na 91ª posição da Billboard Hot 100, sendo essa a primeira entrada de Anitta na parada musical. Na Billboard Global 200, atingiu o pico na posição 37 e se manteve no chart por 6 semanas. O videoclipe foi filmado em alguns lugares históricos de Salvador, na Bahia, e dirigido por Daniel Russel.

Love Me, Love Me foi a escolhida para encerrar o Versions of Me, o pop e R&B em inglês tem a melodia bem lenta e calma, explorando a temática do amor e relacionamentos novamente.

Nas primeiras 12 horas após o lançamento, o disco alcançou o Top 40 do Itunes nos Estados Unidos e apareceu no Top 10 em dez países, como Brasil, Portugal, Polônia, Peru, México e Nova Zelândia.

 No site Album of The Year, que reúne críticas especializadas, Versions of Me aparece com a nota 80, mas a nota é baseada em apenas duas resenhas do álbum. O site NME atribui 4 de 5 estrelas ao disco, apontando que é um projeto extremamente ambicioso que mistura power-pop, reggaeton e muito mais. Já a Rolling Stones cita o álbum como uma experiência global perfeita para uma pista de dança incansável.

O baixo número de críticas ao projeto aconteceu também com seu antecessor, Kisses. No site Album of The Year, o disco de 2019 ganhou nota 70 baseada em suas resenhas. Para Versions of Me entrar em sites como Metacritic e Pitchfork será necessário mais avaliações nas semanas seguintes.

Parte do ensaio que mostra as diferentes versões da cantora [Imagens: Reprodução/Instagram]

Em geral, o novo álbum de Anitta tenta nos mostrar várias versões da cantora, mas nada soa tão natural como a artista em ritmos latinos e bem brasileiros. Sua voz e personalidade se encaixam muito bem no espanhol e a prova disso é seu sucesso com a faixa Envolver. Gata, Maria Elegante e Me Gusta são outros exemplos de como a cantora se sente confortável no ritmo mais dançante.

Em contraponto, temos as faixas Boys Don’t Cry e Versions of Me. A duplinha do Synth-Pop são duas músicas incríveis e mostram realmente um lado novo da artista, mas não se encaixam nem um pouco com o resto do álbum. Elas existem em seu próprio mundo e talvez gostaríamos de ver Anitta no futuro explorando mais esse lado.

Love You, Turn it Up e Love Me, Love Me são as famosas faixas filler, que são totalmente dispensáveis e soam até parecidas por abordar sempre o mesmo tema de relacionamentos. As músicas mais pop-americano parecem muito pequenas e monótonas para a personalidade que conhecemos de Anitta

Que Rabão, a única faixa em português, é um presente aos brasileiros mas não faz sentido no projeto. Fica claro que a música foi produzida anos atrás para um álbum anterior e depois de tanto tempo ela soa datada e confusa. Provavelmente só permaneceu na tracklist pelas promessas aos fãs brasileiros e a homenagem ao funkeiro falecido.

As parcerias com Ty Dolla $ign e Khalid apresentam boa química com artistas nas faixas, mas foram mais empolgantes na expectativa do que no resultado. O sample de La Bamba tinha tudo para ser um dos mais interessantes, mas o hip-hop genérico definitivamente prejudica a música.

Apesar disso, é inegável reconhecer que algumas faixas têm grande potencial comercial e de viralização. Até porque as redes sociais movimentam muito o consumo da indústria musical e pautam como serão os novos projetos. Nesse ponto, talvez a cantora esteja certa em explorar ao máximo sua habilidade trilíngue e passear nos mais diferentes estilos. Mas para os fãs e crítica, a falta de coesão e conceito claro em quem é Anitta como artista, pode sim prejudicar seu desempenho no futuro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s