Como os óleos essenciais podem trazer benefícios para a pele?

Entre os diversos tipos de skincare e produtos para a pele e corpo disponíveis no mercado, a prática de utilizar óleos no dia-a-dia vem se tornando muito comum. O uso de óleos essenciais e vegetais está tão em alta que até a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) reconheceu a aromaterapia como uma prática terapêutica de bem-estar complementar a outros tratamentos. Mas como ela funciona?

AROMATERAPIA

O processo da aromaterapia consiste no uso de óleos concentrados voláteis (os essenciais, com nome derivado da sua essência) e gorduras (óleos vegetais) extraídos de plantas, cujas essências promovem o bem estar e saúde. A técnica consiste em quatro etapas: manutenção da boa forma física, alimentação consciente, relaxamento profundo e direcionamento dos pensamentos. Porém, a aromaterapia tem que ser recomendada por profissionais médicos, aromaterapeutas, psicoterapeutas e profissionais de estética como massagistas. 

As principais formas de utilização destes óleos são os usos aromáticos e tópicos. O uso interno é feito em alguns países e culturas, porém ainda não é permitido no Brasil. Além disso, eles podem ser utilizados em:

  • massagens;
  • banhos e escalda-pés;
  • colares aromáticos;
  • inalação.

Os óleos essenciais podem ser utilizados por meio de inalação, colocando algumas gotas na mão, e após esfregá-las, inspirando seu aroma; ou por uso tópico, sendo diluídos em óleos vegetais e usados para massagens corporais. 

Massagem com óleo essencial [Imagem Shutterstock]

Esfregá-los em partes do corpo como peito, pescoço, pulso, testa, mãos e pés também podem ajudar a relaxar a pele (nunca em contato com a pele, mas sim diluídos em óleos vegetais, por exemplo, para evitar alergias). A dermatologista Dra. Aline Tiemi diz que:

“O óleo essencial nunca deve ser usado puro na pele pois ele pode irritar, causar alergias, e até mesmo pigmentações como é o caso dos óleos cítricos (principalmente associado à exposição solar). […] Seu uso pode ser juntamente com o restante da rotina de cuidados da pele e cabelos, basta acrescentar algumas gotas do óleo essencial nos produtos de uso diário (limpadores, hidratantes, máscara capilar, shampoo ou condicionador)”.

“Os rótulos desse tipo de produto nem sempre evidenciam todos os componentes da fórmula, pois não há uma regulamentação para isso. Além disso, o objetivo principal dos processos de extração de óleo essencial é capturar aromas. Sendo assim, a maioria dos óleos não deve ser ingerida.” Completa ela.

A PRÁTICA PODE SER REALIZADA EM CASA?

Sim. Os óleos utilizados podem ser encontrados no mercado e você pode fazer ambos os tipos de utilização. Algumas pessoas ainda preferem realizar a inalação por meio de difusores, aparelhos que são feitos especialmente para o uso de óleos essenciais. A aromaterapia também pode ser feita no ambiente, como velas de aromaterapia (que contêm óleos essenciais na cera) ou até mesmo diluídos em água e borrifados no quarto ou em seu travesseiro.

Aromaterapia com velas a base de óleos essenciais. [Imagem Shutterstock]

Outros métodos como adicionar os óleos numa panela com água fervente e inalar o vapor aromatizado ou colocar algumas gotas em sais de banho também são muito utilizados. Porém, a Dra. Aline Tiemi adverte:

“Com relação a seu uso não há dúvidas que trazem uma sensação de bem-estar, no entanto é importante reforçar a falta de estudos de qualidade sobre seus efeitos. Existem diversos estudos, mas com avaliações subjetivas, poucos pacientes, pouca padronização, entre diversos outros problemas. […] O importante é que sejam bem indicados e que sejam sempre usados como um adjuvante no tratamento indicado pelo médico, principalmente pacientes com quadros de doenças de pele mais graves.” 

Assim, é sempre bom ter uma recomendação profissional antes de realizar os procedimentos.

OS ÓLEOS ESSENCIAIS MAIS COMUNS E SUAS PROPRIEDADES

“Os óleos essenciais são basicamente extratos vegetais concentrados obtidos por prensagem ou destilação a vapor de flores, folhas, cascas, frutos ou sementes.” diz Aline. Abaixo, ela lista alguns dos óleos essenciais existentes e suas propriedades:

Óleo essencial de lavanda. [Imagem Shutterstock]
  • Lavanda:  ansiolítica e analgésica 
  • Melaleuca: anti microbiana, anti fúngico, reduz oleosidade
  • Gerânio: Anti-inflamatório.
  • Citronela: Repelente de insetos.
  • Rosa Mosqueta: hidratação.
  • Alecrim: Antioxidante e antimicrobiano.
  • Lemon grass: Anti séptico, tônico e estimulante.
  • Bergamota: despigmentante.
  • Camomila: Calmante e anti-inflamatório.

BENEFÍCIOS DO USO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS

Os principais benefícios da utilização de óleos essenciais estão na promoção do equilíbrio físico, mental, espiritual e emocional de quem realiza o processo de aromaterapia.

O alívio de sintomas como estresse e ansiedade também pode ser feito por meio dos óleos, assim como o alívio da insônia, por terem efeitos calmantes. Porém, cada óleo se adapta diferentemente no corpo de cada pessoa, podendo funcionar melhor para alguns do que para outros. Por isso, é importante analisar o desempenho do óleo de acordo com seu uso.

É importante certificar-se de que os óleos sejam 100% puros e não apenas aromas, pois os segundos funcionam apenas como perfumes e são sintéticos, não tendo ligação nenhuma com o bom estar, diferentemente dos óleos essenciais puros.

Além do corpo e bem estar, os óleos essenciais podem também fazer bem aos fios. Alguns óleos podem auxiliar no crescimento capilar de forma saudável, nutrindo a raiz. Além disso, o óleo de lavanda pode acalmar e hidratar o couro cabeludo por conta de suas propriedades cicatrizantes e antimicrobianas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s