Frenezi no Met Gala 2022

Continuando a cobertura oficial da Frenezi sobre o baile do Met de 2022 — qual aconteceu na primeira segunda-feira de maio (02) como tradição —, o evento contou com os co-anfitriões Regina King, Blake Lively, Ryan Reynolds e Lin-Manuel Miranda.

Todos os anos desde sua fundação, o baile do Met (que foi criado como uma forma de arrecadação de fundos para o costume institute do Museu Metropolitan em Nova Iorque) tem um tema de vestimenta para seus convidados que sempre representa de certa forma a exposição anual do instituto de figurinos no museu. Para este ano o tema foi ‘Gilded Glamour’, um opulente momento da história estadunidense que data entre 1870 e 1890, de efervescência cultural, inovações tecnológicas e mudanças no vestuário.

Entenda mais sobre o tema do Met Gala 2022 em nosso texto especial apenas sobre ele, disponível aqui.

A editoria de Moda selecionou alguns grandes momentos desta segunda-feira, e entre os melhores (e os piores) looks temos alguns memoráveis para a história do baile:

Blake Lively de Atelier Versace (Reprodução/Vogue Runway).

Blake Lively

Blake Lively trouxe em seu design um dos símbolos mais importantes de Nova York: a Estátua da Liberdade. Usando custom Versace e se adequando à época do tema, o modelito é um vestido longo com luvas de ópera e laçarote. Em determinado momento do red carpet, a capa ouro-rosada é solta e apresenta a segunda cor: o azul. A Estátua da Liberdade chegou em NYC em 1885 durante a Gilded Age e, inicialmente, foi construída em cobre, mas com o tempo oxidou fazendo com que se tornasse azul.

(Reprodução/Vogue Runway).

Emma Chamberlain

Transitando entre a Gilded Age e a atualidade, a influencer Emma Chamberlain — embaixadora da Louis Vuitton — vestiu um look custom da marca que dividiu opiniões: a parte superior, em tom amarelo com babados, drapeados e mangas estilo princesa remete à Idade Dourada, enquanto a saia branca, justa e lisa, traz um aspecto mais moderno, marcando a dicotomia da produção.

(Reprodução/Vogue Runway).

Lizzo

Lizzo chegou ao Metropolitan Museum tocando uma flauta The Dryads Touch, adornada em ouro 18k — considerada a mais bonita do mundo. E por cima do vestido preto, em estrutura de espartilho e com recortes na parte inferior, a cantora vestiu uma verdadeira obra de arte: um longo casaco preto, com bordados dourados, custom Thom Browne, que foi desenvolvido em cerca de 22 mil horas — equivalente a 916 dias, ou seja, aproximadamente 2,5 anos. Levou a sério o Gilded Glamour!

(Reprodução/Vogue Runway).

Taylor Hill

A modelo Taylor Hill apostou num vestido com decote ombro-a-ombro, em cetim azul, da designer Miss Sohee. A junção da cintura marcada pelo corpete com flores bordadas, a cauda e as botas over the knee, em mesmo tecido, com amarração frontal, resultou numa belíssima silhueta, trazendo o volume característico da Idade Dourada. Um dos melhores momentos de moda da noite.

(Reprodução/Vogue Runway).

Laura Harrier

Laura Harrier usou custom H&M, em colab com Victor Glemaud. A estrutura em corset, combinada à saia ampla e volumosa — criada a partir de uma anágua original da época — marcarou a clássica silhueta em ampulheta, enquanto o tecido brilhante trouxe um toque moderno. Para compor o look, sua stylist Danielle Nachmani escolheu um colar de pérolas criado por David Yurman — designer que já assinou diversas joias utilizadas pela atriz.

(Reprodução/Vogue Runway).

Nicola Coughlan

Talvez um dos principais nomes da noite, a atriz Nicola Coughan (mais conhecida por seu papel como Penelope na série ‘Bridgerton’) parece ter se juntado ao grupo seleto de celebridades que se arriscam ao tema proposto. Em sua estreia no Met Gala a atriz optou por trabalhar ao lado de Richard Quinn — designer britânico —, e sua escolha, apesar de repreendida por muitos pelos tons usados, foi totalmente de acordo com a proposta desta edição. Nicola passou pela escadaria do MET num vestido rosa e preto com mangas bufantes e pontilhado com flores, que exala Gilded Glamour. O pecado talvez tenha sido a escolha dos cabelos soltos e escorridos — mas diante do que foi apresentado por outras celebs na noite, nós deixamos passar!

(Reprodução/Vogue Runway).

Anitta

Em seu segundo Met Gala, Anitta seguiu o tema proposto. E à risca. Usando um custom Moschino, roxo — cor associada à alta sociedade da época, visto que o pigmento púrpura era bastante raro e caro — com cintura marcada pelo espartilho e contrastando com o volume na região do quadril, a peça tinha como adornos e acessórios as pérolas, que trouxeram ainda mais glamour para a produção da nossa Girl from Rio. Com certeza um grande momento!

(Reprodução/Vogue Runway).

Kaia Gerber

A aparição de Kaia na primeira etapa do Met Gala, a ‘In America: a Lexicon of Fashion’, em um vestido Oscar de la Renta foi extremamente consistente e aclamada — o que infelizmente parece não ter acontecido nesta edição de 2022 e segunda parte do evento, ‘In America: An Anthology of Fashion’, em que a proposta era explorar a era dourada estadunidense. Apesar de ter escolhido um modelo Alexander McQueen (marca em que Kaia esteve presente nas passarelas desde seu início como modelo) dourado — o mais próximo da proposta — e com detalhes em franjas metálicas e muito brilho, o vestido parece não ter sido a melhor opção. Em um tema que buscava apresentar ao público as grandezas do país norte-americano, o combo Kaia x McQueen deixou o dever de casa de lado, a não ser pela escolha do cabelo — em cachos — que parece ter sido a atração principal.

(Reprodução/Vogue Runway).

Kim Kardashian

Kim Kardashian protagonizou um dos momentos mais impactantes do Met Gala 2022 ao usar o vestido cravejado de cristais (assinado por Bob Mackie, em seu primeiro projeto de pós-graduação) pertencente a Marilyn Monroe, utilizado pela atriz em 1962 durante o polêmico “Happy Birthday, Mr. President” no aniversário de 45 anos do ex-presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy. O vestido é uma verdadeira relíquia e estava exposto no museu Ripley’s Believe it or Not, em San Francisco. Por ser um acervo tão importante, não poderia ser alterado — por isso Kim precisou emagrecer cerca de 7 quilos em 3 semanas para que pudesse vestir a peça sem danificá-la.

O original foi usado apenas para uma sessão de fotos antes do evento, e durante a noite Kim usou uma réplica do modelo. Ainda assim, o ato foi criticado por especialistas em conservação do próprio Costume Institute, que julgaram como uma situação arriscada visto que o design é a vestimenta mais cara já leiloada da história, vendida por U$4,8 milhões. Apesar de fugir do dress code da noite, Kim se adequou ao tema da exposição como um todo ao usar um dos vestidos mais importantes da história da moda estadunidense, no mais importante evento fashion que tinha como proposta central a história da moda dos EUA.

(Reprodução/Vogue Runway).

Kylie Jenner

Kylie Jenner prestou homenagem ao seu falecido amigo Virgil Abloh usando um dos looks da sua última coleção: o vestido de noiva que encerrou o desfile. Em 2020, ela havia dito a ele que usaria um design da Off-White para o Met, mas o evento foi cancelado por conta da pandemia e infelizmente ele não pode ver em vida este momento. Portanto, Kylie escolheu o evento de segunda-feira para prestigiar Abloh e a marca. O vestido é branco e longo, e ela inseriu um boné fazendo referência ao streetwear de Virgil.

(Reprodução/Vogue Runway).

Rosalía

Para esta edição do Met Gala, Rosalía usou custom Givenchy Haute Couture desenhado por Matthew M. Williams. O vestido era um longo em tule de seda, de tom marfim, repleto de adornos e cristais cravejados, que foi combinado à bolsa e luvas bordadas, joias e óculos de sol (tudo também Givenchy) que trouxeram um toque moderno. O look da Motomami se adequa à estética Gibson Girl — mas passou bem perto do tema, vai!?

(Reprodução/Vogue Runway).

Shawn Mendes

Não é segredo algum que a maioria do público masculino opte por ternos pretos, básicos e convencionais, seja qual for o tema. Este é um caso também específico de Shawn Mendes. Entretanto, nesta edição de 2022 o astro se permitiu arriscar e tentar seguir um pouco o tema apresentado — mesmo que não tenha sucedido 100% na tarefa. Em seu terninho Tommy Hilfiger, o cantor parecia mais saído diretamente das produções de Bridgerton (com semelhanças com o personagem Anthony) ou de alguma produção da Disney do que da Era Dourada norte-americana em si.

(Reprodução/Vogue Runway).

Bella Hadid

Em referência à obra ‘Retrato de Madame X’, feita em 1884 pelo artista John Singer Sargent — que está exposta no próprio Metropolitan Museum of Art —, a supermodelo Bella Hadid usou um vestido preto Burberry, em corset, com saia fluida cuja abertura lateral revelava a meia calça em renda. Não podemos esquecer da tornozeleira de pérolas, que roubou todos os holofotes. O design foi uma ode à primeira versão do quadro, que foi ridicularizada pela sociedade da época por conta da vestimenta muito sugestiva da pintura.

(Reprodução/Vogue Runway).

Billie Eilish

A cantora Billie Eilish foi uma das celebridades que mais se adequou ao tema do baile. Usando Gucci, fez homenagem ao ‘Retrato de Madame Paul Poirson’ de 1885, por John Singer Sargent, conhecido por fazer retratos da sociedade sobre a moda. As cores do vestido e a silhueta vão de encontro à Gilded Age, e com um toque de personalidade, ela insere a gargantilha preta.

(Reprodução/Vogue Runway).

Adut Akech

A supermodel Adut Akech encantou a todos com um vestido verde esmeralda vintage de Christian Lacroix para Shrimpton Couture (da coleção Outono/Inverno de 2003), em modelo ombro-a-ombro, com bordados na região da cintura e detalhes em azul turquesa. Inspirado na pintura da árvore da vida que decora a escadaria do Chateau-sur-Mer, construído em 1852 em Newport, o local foi um marco da alta arquitetura Vitoriana, e redecorado seguindo o estilo do Segundo Império francês durante a década de 70.

(Reprodução/Vogue Runway).

Olivia Rodrigo

Em vestido custom Versace de malha metálica lilás, com abertura lateral, o modelo vestido por Olivia remetia ao vintage, porém com elementos modernos: combinado a luvas de tule em um tom mais claro e adornos de borboletas nos cabelos, a cantora apostou numa estética mística, sonhadora e glamourosa — mas que ainda assim exalava seu estilo teen rockstar.

(Reprodução/Vogue Runway).

Cardi B

Com uma entrada triunfal ao Metropolitan Museum of Art, Cardi desfilou pelo tapete vermelho do evento com um atelier Versace todo em joalheria dourada, talvez sendo a referência mais literal ao Gilded Glamour proposto — mas que apesar da distância com a proposta real, não deixou o bom gosto de lado.

(Reprodução/Vogue Runway).

Normani

Vestindo Christian Siriano, Normani entregou o que talvez tenha sido um dos principais looks da noite. A cantora optou por um look all black, mas que trouxe as referências e a silhueta da Era Dourada para uma pegada totalmente moderna e sexy que se encaixa completamente com seu estilo. Se uma das propostas entre a dupla Normani e Siriano era quebrar as regras, fizeram isso muito bem!

(Reprodução/Vogue Runway).

Sarah Jessica Parker

Sarah Jessica Parker desfilou pela escadaria do Met em um custom Christopher John Rogers homenageando Elizabeth Hobbs Keckley, escritora e primeira mulher negra — que nasceu em situação de escravidão — a se tornar modista da Casa Branca, durante o mandato de Abraham Lincoln. A saia volumosa traz a clássica silhueta da Gilded Age, já a estampa quadriculada do modelo usado pela nossa eterna Carrie Bradshaw faz referência a um dos designs mais importantes criados por Keckley, para a então primeira dama Mary Todd Lincoln.

(Reprodução/Vogue Runway).

Katy Perry

Talvez um dos poucos nomes de destaque da noite, a artista Katy Perry surpreendeu ao posar no red carpet com um vestido assimétrico — nos tons de creme e preto — com rendas florais, da marca também norte-americana Oscar de La Renta. Sem deixar de ser excêntrico, discreto (se comparado às últimas escolhas da cantora nas edições passadas do Met) e também sexy, a peça ainda trouxe algumas referências a vestimenta e obras de arte da época pretendida a ser abordada. O look foi completo com a presença de luvas — bastante protagonistas na época —transparentes.

(Reprodução/Vogue Runway).

É… Talvez Anna Wintour não tenha acertado no tema para a edição de 20022 — em geral, não houve grande aderência — e ainda assim, o Met é sempre uma experiência para os amantes da moda. Qual foi o seu look favorito da noite


Leia também:

2 comentários em “Frenezi no Met Gala 2022

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s