Lei da atração para positividade tóxica pipeline

Não é de hoje que a lei da atração tem ganhado espaço entre os influenciadores e usuários de toda a internet e trazido a premissa de que se a pessoa focar no positivo e deixar de pensar ou sentir algo negativo, apenas coisas boas serão atraídas. O problema é quando a expectativa de algo acontecer ou a negação dos reais sentimentos passam do ponto e geram uma positividade tóxica.

Obviamente, não é errado praticar, mas até que ponto é possível APENAS pensar positivo? Não pode se permitir sentir de verdade?

Lei da atração vs Positividade tóxica

Sabe quando você começa a se bombardear de pensamentos ruins como: “não vou conseguir” ou “não sou boa o suficiente para isso é melhor eu desistir”? É aprendido que na Lei da Atração o mais importante é “tirar todos os pensamentos tóxicos da mente, para assim atrair coisas boas”, não ser pessimista e não sentir raiva ou tristeza.

A LDA é antiga nas redes sociais. Desde a década passada, querendo ou não, grupos que pregavam “good vibes” ou “gratidão” estavam presentes, principalmente no Instagram (em hashtags). De uns tempos para cá, influencers e os chamados “coaches” ensinam apenas pensamentos e energias positivas que resultam em algo bom nas vidas das pessoas: felicidade, sucesso, dinheiro, entre outros. Alguns deles criaram cursos e grupos, seja no WhatsApp ou Telegram.

Hoje, a impressão transmitida é de que tudo é perfeito e tudo está bem o tempo inteiro. Isso não é uma novidade, mas sempre é bom lembrar que o ser humano é capaz de editar e escolher os melhores lugares e momentos para as fotos. Ainda assim, os influencers não mostram a realidade das suas vidas – como o fato de que nem sempre dá tudo certo. Ficar triste, sem maquiagem, e nem sempre ser produtivo são situações cotidianas que não aparecem diante das câmeras.

Ao seguir essa linha, a comparação desenfreada que é proporcionada nas redes e solidificada a partir da ideia da lei da atração pode dificultar muito a recepção de pensamentos positivos e contentamento/felicidade em relação à própria vida. Por isso, é importante lembrar dos privilégios pré-existentes quando a culpa consome e do conceito de produtividade no sistema capitalista (o qual é extremamente exagerado e desproporcional), e nada disso atrai “energias erradas”. 

Na LDA, o padrão vibracional seria, justamente, o “motivo” de alguém não alcançar o que quer – o padrão pessoal estaria baixo e não na frequência adequada (de acordo com praticantes). Por exemplo: a pessoa tem um objetivo e para isso precisa seguir ordens de positividade ou ações. Assim, caso atinja um grau de sentimento que foge disso, gera uma conclusão de que seu desejo não foi realizado por ter sido desencadeado por pensamentos “ruins” ou com energias negativas. 

Apesar de trazer muitos benefícios (obviamente, pensamentos otimistas são sempre bons!), é perturbador pensar que pessoas têm que ser felizes ou deixar algum sentimento trancado o tempo todo só para não originar ou acarretar más contemplações. Tristezas e agonias são enterradas para evitar essa situação, e isso pode piorar a questão emocional no futuro. 

Como lidar? Veja abaixo algumas dicas para desfrutar da LDA com consciência. 

Cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da saúde física. Ninguém está bem o tempo todo e ninguém sabe lidar com todas os dilemas do cotidiano. Quanto mais ignorarmos os nossos sentimentos, mais difícil será resolvê-los. 

1. Saiba quem você está seguindo.

Ninguém merece ter que ver todos os dias a vida “feliz” de influenciadores que não fazem questão de contar a verdade ou definir seus privilégios e, mesmo assim, pregam a lei da atração.

Procure quem tem mais a ver com a sua realidade ou pessoas mais verdadeiras e abertas para mostrar que nem tudo são flores.

2. Você pode ser triste ou sentir raiva

    A verdade é que é impossível estar contente o tempo todo e reprimir todos esses sentimentos nos deixa ainda pior do que já estamos. Problemas precisam ser resolvidos e conversados! Desse modo, procure um profissional ou fale com quem você tem mais confiança.

    A psicologia é uma importantíssima aliada quando se considera saúde mental. Assim, você irá conseguir falar de suas emoções de uma forma mais saudável e real. O entendimento sobre suas circunstâncias (como traumas, por exemplo) não irá acontecer somente ao ouvir influenciadores.

    3. Comece por coisas pequenas

    Na LDA temos a possibilidade de pedir o que queremos. É importante, primeiramente, pedir coisas pequenas para assim poder pedir coisas maiores. Ao começar por baixo, há uma menor chance de frustração.

    4. Cuidado com quem você conversa

    Às vezes, amizades ou conhecidos que praticam a lei da atração estão presentes, mas também pregam o otimismo tóxico. Em alguns momentos, é importante cortar ciclos, começar novos e priorizar sua saúde mental. E não, você não está sendo egoísta. 

    Procure quem prioriza e entende seu dia a dia e suas necessidades, alguém que esteja na sua vibe. Assim, a amizade sempre flui.

    5. Pesquise antes de praticar

    E, por último (e não menos importante): Antes de praticar, PESQUISE e ENTENDA como funciona cada um dos tópicos da LDA. Há várias formas de praticar! Ouça podcasts e sites confiáveis, por exemplo, e veja qual deles agrada.

    Veja alguns exemplos abaixo.

    • Roteirização dos Sonhos (moodboard);

    • Cerque-se com as coisas que você deseja;

    • Visualização mental dos sonhos;

    • Escrever pelo que é grato;

    • Cartinha para o universo.

    Deixe um comentário

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s