Boletos Existenciais

É muito fácil o jovem de hoje em dia ter dificuldade de se encaixar, de reconhecer a própria existência ao meio de tanta informação. Por isso que um projeto como a Frenezi é tão importante e envolvente: por ser feita por e para jovens, é um lugar onde qualquer um sente-se confortável o bastante para abertamente existir e se expressar. Com a minha coluna, espero conseguir curar essa “ferida” do não-pertencimento. Falar bobagem, devaneios e filosofias delirantes que, de certa forma, vão ressoar com a experiência daqueles que estão lendo.

Um pedido de desculpas

Não sei se isso fica óbvio só de olhar para a minha pessoa, mas morro de medo de ser alvo de uma crítica. Sei que quase todo mundo sofre com isso, mas no meu caso é um problema seríssimo que ultrapassa todos os limites da possibilidade. Quero que todo ser vivo no planeta pense apenas…

Conhecer no pretérito perfeito

Sabe qual é a conjugação mais solitária de todos os tempos? “Conhecer” no pretérito perfeito. Conhecia, conhecias, conhecia, conhecíamos, conhecíeis, conheciam. É como o final de uma história inacabada. É deixar parte da sua narrativa para atrás. É desconhecer o conhecido. “Conhecer” no pretérito perfeito é doloroso e horrível. Você não quer aceitar que a…